Um beijo e trocamos 80 milhões de germes em apenas 10 segundos

Um beijo e trocamos 80 milhões de germes

Você tem medo de germes e bactérias? Você é obcecado com higiene e tem mania de limpeza? Então, neste Carnaval e em tantas outras ocasiões que virão, é bom que você saiba que com apenas um beijo, duas pessoas trocam até de 80 milhões de germes.

Como se sabe, existem bactérias "boas e más” em nosso corpo, e é tarefa do sistema imunológico nos defender contra as ameaças, inclusive no Carnaval!

De acordo com especialistas holandeses, um só beijo de 10 segundos de duração permite a troca de um grande número de bactérias. Os cientistas monitoraram os hábitos de 21 casais em relação aos beijos e verificaram que aqueles que beijaram 9 vezes por dia tinham maior chance de trocar germes com a saliva.

A ciência nos lembra que a boca é o lar de mais de 700 tipos diferentes de bactérias, mas o novo estudo revela que algumas bactérias passam de uma pessoa para outra, de uma forma mais simples, através do beijo. A pesquisa em questão foi publicado no jornal Microbiome e leva o título de "Sharing the oral microbiota through intimate kissing".

Os pesquisadores recolheram amostras de saliva dos indivíduos que participaram do estudo e foram capazes de calcular uma média de 80 milhões de bactérias passada de um parceiro para o outro com um beijo de 10 segundos. Segundo o professor Remco Kort, que trabalhou no estudo, o beijo é um dos maiores exemplos de exposição a um grande número de bactérias em um curto espaço de tempo.

Mas apenas algumas bactérias trocadas na saliva ficam retidas na superfície da língua. Pesquisas posteriores irão avaliar as propriedades das bactérias que são trocadas com o beijo, e com quais critérios estas ficam retidas na língua. Estes aspectos, de fato, podem ser úteis para ajudar especialmente as pessoas que têm problemas com bactérias.

Os especialistas estão trabalhando em colaboração com o museu Microbia, o primeiro museu de bactérias do mundo, que está localizado em Amsterdam.

Um crescente número de pesquisas vem estudando o microbioma, um ecossistema de mais de 100 bilhões de micro-organismos que vivem em nosso corpo e em sua superfície. De acordo com os especialistas, algumas bactérias seriam essenciais para a saúde e para a prevenção de doenças.

Leia também: Abraço: bom para prevenir resfriados e viver melhor