O método dinamarquês que combate o bullying ensinando empatia e felicidade às crianças

O problema do bullying infelizmente é muito comum, principalmente nas escolas, devido ao fato de muitas delas manterem o modelo conservador de ensino, baseado na competição, na comparação e não no respeito à individualidade.

Apesar das campanhas de conscientização promovidas para combater esse mal, o problema persiste. Entretanto há uma nação na Europa, famosa pelo seu grau de felicidade e bem-estar, que encontrou uma maneira que realmente funciona para combater o bullying.

Trata-se da Dinamarca, onde o bullying não é considerado uma falha de caráter, como acontece no Brasil e em outros países, mas sim uma consequência do comportamento intolerante e da dinâmica incorreta do grupo, e é por isso que lá não há punição, mas sim uma intervenção educativa.

E por essa razão, a americana Jessica Joelle Alexander, que vive na Dinamarca e é psicóloga e socióloga escreveu o best-seller: “Crianças dinamarquesas: O que as pessoas mais felizes do mundo sabem sobre criar filhos confiantes e capazes” (edição brasileira) e “The Danish Way of Parenting” (edição em inglês).

Ambos livros têm como fundamentos o método dinamarquês para educar as crianças de forma a torná-las seres humanos felizes.

Essa terapeuta se dedica há anos em descobrir os segredos do modelo de educação dinamarquês para torná-lo aplicável em outros países, mostrando como através deste método pode-se reduzir drasticamente o bullying nas escolas.

Como tudo começou

Conforme Jessica Alexander contou em uma matéria para o site D.Repubblica, quando ela se casou, entrou em contato com a cultura dinamarquesa e em quase vinte anos, ela adquiriu a percepção de que os dinamarqueses criavam seus filhos de uma maneira muito peculiar e eficaz.

O resultado dessa criação? Crianças e jovens educados, respeitosos, serenos e felizes. Isso a motivou a investigar essa forma de educação e ela passou a compreender a razão da Dinamarca ser considerada há mais de quarenta anos um dos países mais felizes e isso graças ao tipo de educação aplicado nesse país.  

Nesse contexto, ela dedicou-se a conhecer melhor o modelo educacional dinamarquês, para poder compartilhar com pais e professores de outros países.

Uma dos aspectos dessa educação é a abordagem inovadora em relação ao bullying, que levou a Dinamarca a criar o programa “Livre de bullying”, o qual fez com que houvesse uma redução de 25 para 7% desse problema, nos últimos dez anos. Um resultado impressionante, não é mesmo?. 

Você deve estar se perguntando como se deu isso?

E lá vai a resposta: na Dinamarca, o bullying é visto como efeito da falta de tolerância e da dinâmica desarmônica do grupo. 

Nas escolas dinamarquesas, os professores desenvolvem estratégias para ajudar os alunos a se integrarem melhor ao grupo. Assim, aquele que é diferente, começa a se sentir aceito e deixa de se comportar mal.

Para poder detectar as diferenças individuais dos alunos, um dos métodos utilizados pelos professores dinamarqueses para monitorar a dinâmica de grupo é a “pesquisa de bem-estar“.

Através dessa pesquisa, a criança responde o quão feliz se sente usando uma escala de 1 a 10 e identificando três pessoas com as quais passa mais tempo, além de uma série de outras perguntas relacionada à idade e necessidades de cada aluno. 

Com o resultado da pesquisa, os professores adquirem informações importantes sobre o bem-estar dos alunos, tanto individual quanto coletivo, e desenvolvem mais empatia com seus alunos, os compreendendo melhor.

Após coletados os dados da pesquisa, os professores fazem um sociograma que é uma representação gráfica da hierarquia do grupo, onde se pode detectar o aluno que interage melhor e o que tem dificuldade de se sociabilizar com os outros e, assim, é possível planejar aulas com base em uma estratégia que promova melhor interação no grupo.

Outra estratégia aplicada pelo modelo de ensino dinamarquês é que os estudantes dos 6 aos 16 anos são conduzidos em atividades específicas, feitas uma hora por semana, com base na comunicação-não-violenta, ou seja, ouvindo e se colocando um no lugar do outro, promovendo mais tolerância, entrosamento e empatia entre eles.

O que contribui para que as escolas dinamarquesas tenham bons resultados, é que as famílias reforçam essa educação.

Princípios da educação na Dinamarca

O método dinamarquês de educação dos filhos consiste em: 

  • Deixar as crianças brincarem mais, sem forçá-las a fazer um curso atrás do outro, sobrecarragando os pequenos
  • Praticar o diálogo honesto e ensinar aos filhos a prática da empatia
  • Promover qualidade na convivência familiar, pois, para os dinamarqueses os momentos aconchegantes compartilhados em família são muito importantes e eles os denominam de hygge (pronuncia-se ruga), nesses períodos se reúnem com os familiares em atividades recreativas para se divertirem e confraternizarem
  • Não ensinar utilizando a violência como surras e castigos
  • Relacionar-se com os filhos desenvolvendo a confiança recíproca e o respeito, aspectos estes que contribuem para a boa formação do ser humano e constituem a base da felicidade.

Em síntese: Educar crianças e jovens para desenvolverem a tolerância e a inclusão é valorizar o essencial, pois não adianta injetar teorias, conceitos e conteúdos nas cabeças dos filhos ou alunos, se não existe respeito e humanidade na convivência.

Talvez te interesse ler também:

O MÉTODO FINLANDÊS QUE ESTÁ ACABANDO COM O BULLYING E SENDO EXPORTADO AO MUNDO TODO

COMO A CIÊNCIA PODE AJUDAR NA EDUCAÇÃO DO SEU FILHO

RAÇA HUMANA NÃO EXISTE. BIÓLOGOS ALEMÃES PEDEM O FIM DO TERMO

Professora, alfabetizadora, formada em História pela Universidade Santa Cecília, tem o blog A Vida nos fala e escreve para GreenMe desde 2017.
Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Instagram
Siga no Facebook