Desmame: como, quando fazer e O QUE É IMPORTANTE SABER

  • atualizado: 
desmame

Desmamar o seu bebê? Chega uma hora que é necessário - ou será que a gente pode deixar o bichinho mamar até quando ele quiser? Pode, claro mas, enfim, a vida moderna não está adaptada a isso e talvez você queira desmamar seu bebê. Mas, procure a forma mais gentil de o fazer, está bem? Porque o desmame abrupto deixa traumas, em você e na criança.

Prazos básicos de amamentar

O Ministério da Saúde e a OMS - Organização Mundial da Saúde, recomendam que os bebês sejam amamentados com leite materno, exclusivamente, até os 6 meses e, intercalado com outros alimentos, até os 2 anos, pelo menos. Esses são os prazos considerados mais adequados tanto para a saúde física quanto mental da criança em formação. Mas, e como é que se faz o desmame?

Amamentar é laço forte

O amamentar cria uma relação muito forte entre mãe e filho, uma verdadeira dependência mútua que, no entanto, a sociedade ocidental moderna condena - daí é que vem o preconceito contra as mães que amamentam em público.

Para desmamar seu bebê você tem que estar segura de que o momento é o certo e buscar, aos poucos, com calma e muita sensibilidade, qual a melhor maneira de ir, pouco a pouco, substituindo a necessidade de sugar o seio, de engolir o “leitinho da mãe” por outra solução igualmente prazenteira - sim, agora estamos falando de prazer pois, o bebê ainda está na sua fase oral de direito, não é? Mas, não só isso - o prazer oral de sugar - como também toda a sensação de segurança que vem através do contato pele a pele, do tum-tum do coração, do cheiro da mãe.

Qual o momento mais certo para o desmame

Isso vai depender de vocês dois - claro que, após o bebê se acostumar com as comidinhas (essa adaptação ocorre dos 6 meses em diante) e estar saudável ele já não vai precisar da mamada no peito como base alimentar ou de imunização. Isso não quer dizer que mamar não seja super importante, claro.

A construção do desmame tem a ver com a criação da relativa independência do bebê. Pouco a pouco ele, sozinho, vai preferir a papinha, mais consistente e gostosa, com diversidade de sabores, à mamada da hora do almoço, por exemplo. Mais devagar é o desmame da primeira mamada da manhã e da última da noite - tudo a ver com “preparar o ânimo para o novo dia e para adormecer”.

Então, o melhor momento é qualquer momento que você entender que é bom - a partir dos 2 anos, se você estiver ainda amamentando. Mas, lembre, só você, mãe, é quem pode saber quando é esse “momento certo para desmamar”.

Caso você tenha que trabalhar fora - tantas de nós o fazemos, certo? - prepare esse momento durante os meses (deixe as mamadas diurnas para a mamadeira, a papinha, a avó, a babá ou a creche) e, continue dando o café-da-manhã e o leitinho da noite, superimportantes para a saúde emocional do seu bebê.

Criança madura para o desmame

Alguns são os sinais que podem sugerir à mãe quando o seu bebê já está maduro para iniciar o processo do desmame. Copiei, abaixo, as dicas da pediatra Elsa Regina Justo Giugliani, no texto “Desmame: Fatos e Mitos”, que você poderá ler aqui.

• Idade maior que um ano

• Menos interesse nas mamadas

• Aceita variedade de outros alimentos

• É segura na sua relação com a mãe

• Aceita outras formas de consolo

• Aceita não ser amamentada em certas ocasiões e locais

• Às vezes dorme sem mamar no peito

• Mostra pouca ansiedade quando encorajada a não amamentar

• Às vezes prefere brincar ou fazer outra atividade com a mãe ao invés de mamar

Desmamar é um processo

Segundo ainda a Dra Elsa Giugliane, o desmame pode ocorrer de 4 maneiras:

1. abrupto

2. planejado (gradual)

3. parcial

4. natural

Natural é quando a criança decide que não vai mais mamar, que não quer mais, perde o interesse e larga o peito. Esta é a maneira mais adequada, sempre, pois todo o processo estará perfeitamente sincronizado com o desenvolvimento do seu bebê. E, quando o desmame é natural ele pode ser gradual ou abrupto - sim, de um dia para outro o bebezão já não aceita mais seu peito (é duro, devo te dizer!).

As outras formas são todas por iniciativa materna e você deverá escolher a que melhor se adapte à sua vida real - planejar o desmame é bom se você tem o tempo restrito, o mesmo para o desmame parcial. Só a forma abrupta é que não é boa para ninguém.

Desmame gentil em etapas

1. Comece o processo de desmame gentil pelas mamadas menos importantes (para o bebê, claro) - o objetivo do processo é a criança se acostumar e não o privar de conforto ou alimento.

2. Troque uma mamada por vez - sim, desmame gentil é demorado mas fará bem aos dois, mãe e filho.

3. Converse com seu bebê, invente “desculpas lúdicas” para desfocar a atenção dele para o seu peito (a Suelen Maistro dá boas dicas sobre essa parte - ela conta como é que fez)

4. Interrompa o desmame, adie, caso seu bebê adoeça

5. Seja gentilmente firme - quando conquistar um ponto, mantenha o limite. Claro que a criança pode não gostar, e claro que você vai se sentir mal se ela reclamar mas, é melhor isso do que um processo que não acaba nunca.

6. Uma criança de mais de 2 anos já consegue entender limites claros e aceita trocas portanto, esta é a base do processo. Ah! Mas, cada processo é único então, tenha confiança no seu, estabeleça o que vai fazer (tem a ver com a sua vontade e também com o quanto você resiste).

7. Se o seu bebê acostumou a dormir no peito, bem, aí vai ser um pouquinho mais demorado, claro, e talvez você precise de ajuda do pai ou de alguém mais.

8. Ah! Acabe com a “livre demanda” de peito - quer dizer, só dê quando o bebê solicitar com firmeza, em horário que você conhece como importante para ele (por exemplo, ao despertar ou antes de dormir).

9. Dificulte o acesso - o peito é seu, não dele. Roupas um pouco mais fechadas podem te ajudar. Ou, dizer que “o peito está dormindo agora”. Coisas assim, para desviar a atenção.

Leitura boas para quem vai encarar o desmame

Fiz um resumo da situação mas, com certeza, você se beneficiará muito com a leitura de relatos de outras mães ou até da participação em algum grupo como esse Grupo Virtual de Amamentação.

Leia mais sobre amamentação:

setaLEITE MATERNO: UM SUPERALIMENTO. AMAMENTAR É BOM PARA A MÃE E PARA O BEBÊ

setaAMAMENTAÇÃO → TUDO O QUE É IMPORTANTE SABER PARA A SUA SAÚDE E A DO BEBÊ

setaCOMO É POSSÍVEL MELHORAR O SONO DO TEU BEBÊ (E O TEU TAMBÉM!)