Parto Normal → 10 COISAS IMPORTANTES Que Você Precisa Saber

  • atualizado: 
parto natural

O parto normal, ou natural, quer dizer, parto vaginal sem outras intromissões a não ser o tempo, a boa ajuda da parteira ou doula, banhos de assento e chás de ervas, é algo que povoa a imaginação das mulheres. Mas, é esse mesmo parto, que deveria ser algo tão natural na vida de todas nós, que também pode ser muito assustador.

1. O que você realmente quer dizer com o parto natural?

A palavra "natural" não deve ser enganadora: não estamos falando de se dar à luz no meio da natureza. Na verdade, por parto natural entende-se aquele que ocorre por via vaginal sem a necessidade de ventosa para favorecer a saída do bebé ou a administração de ocitocina para estimular as contrações. Mas, muitas vezes também se entende por “parto natural” aquele que não é realizado por cesariana, que não é de hora marcada pelo médico, ou a mãe, e sim acontece quando o bebê decide nascer, e demora o tempo que ele precisar para abrir seu caminho até o nosso mundo.

2. Como é que um parto natural?

O parto natural ocorre em 2 fases:

1º Fase

Fase de preparação dos tecidos e organismo da mãe. Pode até ser que você nem perceba, que as contrações prévias sejam suaves e muito irregulares, que o vazamento de líquido seja muito lento, que o tampão de muco não manche sua calcinha.

Mas, pode crer que essa fase vai estar acontecendo - o bebê já estará bem encaixado, meio que apertado, com movimentos mais contidos; os ossos da sua bacia já estarão “moles como geleia” se ajustando e abrindo espaço para a passagem do bebê. E isso vai assim, você percebendo ou não, até que começam as contrações mais efetivas.

2º Fase

Fase de dilatação do colo uterino, que é quando começa o trabalho de parto ativo.
O trabalho de parto ativo implica nesse processo de dilatação e alisamento do colo uterino e, na subsequente fase de expulsão do feto, com a ajuda das contrações.

O colo uterino, por efeito dos hormônios e das contrações uterinas, começa a afinar e a se abrir (2 dedos, no começo; no máximo chega a 10 dedos de abertura e, por essa medida passa qualquer bebê). Algumas mulheres abrem pouco, outras abrem bem e rápido - essa fase depende mais dos hormônios do que das contrações.

Em seguida começa a fase de expulsão - as contrações uterinas se fazem ritmadas (de minuto em minuto, até) e mais efetivas, espremendo o bebê no sentido da saída, pela pressão da musculatura uterina. Após a saída do bebê, outra carga de contrações fará sair a placenta limpando o útero.

3. Quanto tempo demora um trabalho de parto?

Cada fase varia, de mulher para mulher. Pode demorar uma hora, ou vinte e tem a ver com a constituição física tanto da mãe quanto da criança e, muito, com a estrutura emocional da mãe.

Mas, o costume é de que o trabalho de parto não deve exceder duas postas de sol - esse é um lema muito antigo que indica como máximo o tempo de até 24 horas para o bebê nascer, desde que o processo começou, sob pena de se esgotar a mãe e, em consequência, possam ocorrer problemas mais graves.

4. Dar à luz com dor? Não necessariamente!

Que doi, doi mas, a quantidade, ou como você sente essa dor, é subjetivo, claro. Algumas mulheres sentem todas as contrações como insuportavelmente dolorosas e outras, somente aquelas da fase de expulsão. Mas, é certo que a dor de parto é a dor mais violenta que uma mulher pode experimentar na vida.

Porém, essa dor imensa pode ser reduzida em muito com a anestesia epidural (porém, o uso da anestesia vai te impedir de parir de cócoras ou dentro d’água pois, anestesiada você perderá a função das pernas e não conseguirá se sustentar)

Alguns hospitais, em vez da epidural, oferecem o óxido nitroso (gás hilariante) que é relaxante, euforizante e analgésico - uma solução boa mas, cara e pode causar, posteriormente, náuseas e mal-estar.

Caminhar, tomar duchas quentes, massagens e alguns exercícios também ajudam muito nessa hora. E principalmente, ajuda você não sucumbir ao medo de sentir dor. Entenda que parir faz parte da vida de quem quer ter filhos e, assuma que é natural para seu corpo. Essa compreensão vai te ajudar a driblar os momentos mais pungentes.

bebè

5. Como saber que chegou a hora do seu bebê nascer?

As mães de primeira viagem é que não sabem mas, sempre existem sinais claros que chegou a hora, mesmo que você não sinta dor. É o tampão mucoso que escapa manchando a calcinha, é a bolsa de água que “estoura”, é uma intuição de que chegou a hora ou, são as contrações que já estão por volta dos 5 minutos de frequência.

6. O que devo fazer quando o trabalho começa?

Mantenha a calma, pegue sua mala e vá para a maternidade. Faça isso assim que as contrações se tornem regulares - não espere demais pois, algumas “boas parideiras” são mesmo rápidas. Mas, se for esse o seu caso, não entre me pânico - bebês também nascem em casa, especialmente em partos rápidos.

7. Eu escolhi o nascimento natural...

Converse com seu médico sobre essa sua escolha. Um parto natural é sempre mais saudável tanto para mãe quanto para a criança, desde que não exista nenhuma indicação clínica real que indique a cesariana - eclâmpsia ou sofrimento fetal são as indicações mais frequentes.

8. Como escolher a maternidade para dar à luz

Algumas maternidades aceitam que você faça um plano de parto para o parto normal e podem até ter a opção de “parto na água”, “cadeira de parto” ou outros artefatos que ajudam bastante. O que menos ajuda, saiba você, é a cama ginecológica - a posição deitada não está a condizer com “escorregar pelo túnel”, é óbvio!

Procure uma maternidade perto de onde você mora - nada vale mais do que a tranquilidade para se chegar lá quando começa o trabalho de parto.

9. Você pode ter uma doula e um acompanhante na hora do parto

Caso você ainda não saiba, a lei te garante tanto a presença do marido (ou o acompanhante que você indicar) e da doula na hora do parto mas, para evitar surpresas de última hora, avise a maternidade e se garanta com tranquilidade.

Informe-se sobre as regras para o parto humanizado, as leis e atitudes que a podem proteger da violência obstétrica. Ter consciência de seus direitos já é mais de meio caminho andado para um bom final, certo?

setaLeia tambem: GOVERNO BUSCA PROMOVER O AUMENTO DO PARTO NATURAL NO BRASIL

10. Todos os benefícios do parto natural

Há muitos benefícios que resultam do parto natural:

● sensação de maternidade

● recuperação muito mais rápida

● ajuda o desenvolvimento respiratório do bebê

● ajuda a começar a amamentação

● regulariza os hormônios mais rapidamente (desde que se evite o uso destes para apressar as contrações, claro)

● reduz os riscos de problemas gestacionais (placenta prévia) nas mães.

Especialmente indicado para você:

setaDEPRESSÃO PÓS-PARTO VERSUS VIOLÊNCIA OBSTÉTRICA

setaPARTO HUMANIZADO, DOULAS E A TRANQUILIDADE DE SE TER UM FILHO SEM AGRESSÕES

setaCESÁREA AUMENTA RISCO DE OBESIDADE