Teu filho será bom em matemática? Depende de um hormônio na gravidez

Matemática é questão de hormônio: a deficiência do hormônio tiroxina (t4) durante a gravidez, poderia criar problemas nas habilidades matemáticas. Em suma, as mães talvez não devessem reclamar tanto das notas baixas do filho, nesta matéria que, para tanta gente, é complicadíssima.

De acordo com um estudo holandês publicado no European Journal of Endocrinology, os filhos de mulheres que durante os 9 meses de espera tiveram baixos níveis deste hormônio da tireóide, são 60% mais propensos a não saber lidar bem com a aritmética.

A pesquisa conduzida por alguns estudiosos da VU University Medical Center, liderada por Martijn Finken, examinou 1.196 crianças saudáveis, seguindo-as desde o nascimento até os 5 anos. Na décima segunda semana de gravidez, os estudiosos registraram os níveis de tiroxina materna, para depois examinarem os resultados dos testes de linguagem e matemática feitos na escola.

Há algum tempo, já se havia descoberto que níveis bastante baixos do hormônio tiroxina em mulheres grávidas, poderia levar a um desenvolvimento cognitivo reduzido nas crianças, e agora esta nova pesquisa leva a uma dificuldade específica na aprendizagem, a da matemática.

As mesmas dificuldades, no entanto, não foram encontradas nos testes de linguagem. Falta ver - diz Finken - se estes problemas persistem na vida adulta. Um tratamento usando integrador de homônio, já foi tentado no passado para beneficiar o desenvolvimento mental do bebê no útero, mas sem conseguir melhorar as habilidades cognitivas da criança.

Em suma, não só da gestão consciente da gravidez depende o futuro do nosso bebê, mas também do que é aparentemente incontrolável, como a quantidade de hormônios que vão e vêm durante os nove meses. O hormônio tiroxina pode ter a sua importância, mas lembre-se que as habilidades cognitivas e intelectuais de nossos filhos dependem sobretudo do caminho e do contexto em que nós os criamos. Ademais, existem tantas inteligências...

Leia também: QUE TIPO DE INTELIGÊNCIA VOCÊ TEM? A TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS DE GARDNER