Projeto da USP leva ciências nas escolas

Ciências? Que coisa chata! Não é assim que geralmente dizem os alunos do ensino básico? E não deveria ser assim, pois ciência é muito legal e envolvente. Por isso, um projeto visa levar ciências nas escolas e dentre os seus conteúdo e objetivo está a desmistificação das matérias escolares como química, física, sustentabilidade e ambiente, às escolas de educação básica de Piracicaba-SP e região. O projeto de extensão é coordenado pela professora Rosebelly Nunes Marques, do Departamento de Economia, Administração e Sociologia da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP.

Com o título “Divulgação Científica na Escola: elaboração, aplicação e avaliação de material didático-pedagógico na Educação Básica” este projeto teve início em 2013 e agora foi renovado até o mês de julho de 2016 com o suporte do Programa Aprender com Cultura e Extensão, da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária (PRCEU) da USP.

O programa consiste na realização de encontros quinzenais nas escolas, com duas bolsistas da USP, uma estudante de Ciências Biológicas e outra de Licenciatura em Ciências. As bolsistas aplicam aos alunos dois questionários, um prévio e outro posterior aos encontros, para avaliar o conhecimento sobre o tema e o material produzido. O foco é sempre voltado para áreas das ciências da Natureza.

“Eu participava de dois projetos de extensão que envolviam, além de palestras, peças de teatro em escolas da cidade. Toda essa informação despertava interesse nos estudantes e me atraía muito”, revelou Rosebelly.

Rosebelly também informa quais são os critérios que os universitários devem ter para poderem se envolver no projeto, e ter um preparo sobre os temas abordados no programa é fundamental. “Fazemos uma capacitação didático-pedagógica, levando em conta a linguagem adequada para o Ensino Fundamental e Médio e o conhecimento específico de cada bolsista”. Todos que participam precisam se dedicar por 10 horas semanais ao projeto.

O projeto ciência nas escolas faz suas apresentações seja em escolas públicas que particulares, sem restrições. Atualmente, há uma lista de espera nas escolas da região que desejam participar, por isso, os diretores de escolas quem tiverem interesse, devem entrar em contato pelo email rosebelly.esalq@usp.br para levar o projeto a seus alunos.

Leia também: Na Holanda, sexo se aprende no jardim de infância

Fonte foto: freeimages.com