Doe leite materno e salve os bebês prematuros

Doe leite materno e salve os bebês prematuros

"Seja doadora de leite materno e faça a diferença na vida de muitas crianças”. Este é o tema da Campanha Nacional de Doação de Leite Materno que o Ministério da Saúde lançou no dia 20 de maio, visando aumentar as doações principalmente para atender os bebês nascidos prematuramente. A campanha foi lançada agora para coincidir com a data do Dia Mundial de Doação de Leite Humano, celebrado no último dia 19, e com o objetivo de aumentar as novas doações voluntárias e aumentar a quantidade de leite para a distribuição do leite materno aos recém-nascidos. Hoje no Brasil, o volume de leite materno coletado representa de 55% a 60% da real demanda no país.

"Nossa meta é que a gente consiga ampliar em 15% a doação de leite humano voltado prioritariamente para bebês prematuros. Um litro de leite humano vai auxiliar dez bebês prematuros. É fundamental que todos possam fazer parte dessa história", destacou a ministra interina da Saúde, Ana Paula Soter.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 15 milhões de bebês nascem prematuros no planeta, tendo mais de 1 milhão de mortes após alguns dias do nascimento dessas crianças. E o Brasil está entre os dez países com mais partos prematuros mundialmente, com cerca de 279 mil partos desta natureza por ano. É considerado parto prematuro toda a criança que nasce antes de 37 semanas de gestação.

No último ano, entre os meses de janeiro e dezembro de 2014, as doações de leite materno alcançaram 184 mil litros, beneficiando 178 mil recém-nascidos, coletados com mais de 164 mil mulheres. Comparando com os dados de 2008 ao ano de 2014, houve um aumento de 11% no volume de leite materno coletado.

Pesquisas da OMS alegam que o consumo de leite materno pode reduzir a mortalidade infantil (crianças com até cinco anos de idade) em até 13%. Por aqui, 67,7% dos bebês recebem leite materno na primeira hora de vida e tem este alimento como exclusivo até o 54° dia, e 41% só bebem leite materno durante os primeiros seis meses de vida.

Ao todo, a rede brasileira de coleta de leite materno conta com 215 bancos de leite e 98 postos de coleta distribuídos em todos os estados da União, mas, infelizmente, com tantos casos de bebês prematuros, somente o Distrito Federal possui suficiência de leite materno para suas crianças, os outros estados não conseguem atender a demanda, acarretando em maiores problemas de saúde e dificuldades de sobrevivência para as crianças prematuras.

"É muito difícil ter um bebê na UTI e um seio cheio de leite. A melhor coisa a se fazer é doar. Além disso, você supre um pouquinho daquela angústia de não ter o seu bebê no seu colo. São poucos minutinhos na sua vida que fazem muita diferença.", afirma Soter.

Para doar, toda a mulher que amamenta é uma doadora em potencial. Basta que ela esteja saudável e não estar sobre efeito de nenhum medicamento que interfira na amamentação. As mulheres que possuem interesse em doar, ligue para o Disque Saúde no telefone 136.

Leia também: Leite materno: um superalimento. Amamentar é bom para a mãe e para o bebê

Fonte foto: freeimages.com