Respeito a Fábio Assunção neste Carnaval: brincadeira (e mau gosto) têm limite!

  • atualizado: 
Fábio Assunção Carnaval

Com a chegada do carnaval, muitas máscaras com o rosto do ator Fábio Assunção estão circulando por vários blocos de carnaval pelo Brasil afora. A máscara com a imagem do ator remete a alguém “doidão”, o que tem levado vários artistas e fãs de Assunção a criticarem a venda e o uso dessas máscaras. Mas por quê?

O ator vem lutando contra a dependência química há anos, logo fazer piada com a sua doença não tem graça alguma, além de ser um ato de desrespeito a ele e aos demais dependentes químicos. Afinal, quem usaria uma máscara de alguém careca em tratamento contra um câncer? Essa comparação tem sido feita nas redes sociais por colegas e fãs do artista, para deixar clara a dimensão do problema que Fábio enfrenta.

O que é dependência química?

A dependência química ocorre quando há uso contínuo de drogas psicoativas, causando alguma alteração no funcionamento cerebral. O uso de drogas pelo ser humano é muito antigo, seja por razões religiosas, seja como fonte de prazer.

As drogas psicoativas - como o álcool, a maconha ou a cocaína – podem produzir efeitos ora agradáveis, ora desagradáveis. Mas o que elas têm em comum, segundo o Centro Regional de Referências em Drogas da Universidade Federal de Minas Gerais (CRR/UFMG), é sempre causaram alterações no cérebro e, consequentemente, alguma mudança nas funções psicológicas, como a atenção, a memória, a percepção sensorial e, até mesmo, a forma de se relacionar com o mundo.

O risco de dependência existe e seu desenvolvimento depende de fatores controláveis, como o tipo de droga, o acesso a ela, a exposição precoce e/ou repetida; e de fatores incontroláveis, como fatores sociais, vulnerabilidade genética, doenças psiquiátricas, fragilidades pessoais.

A dependência química é, sim, uma doença grave, pois ela faz com que o usuário tenha, inclusive, a sua percepção de relação com a droga distorcida, o que o faz perder o controle sobre o uso da substância, deixando de ser um mero usuário para se tornar um dependente.

A dependência química pode, ainda, acarretar outras doenças, como: câncer, problemas cardíacos, hepáticos ou sintomas como impotência sexual, falta de energia e vontade de suicidar.

De acordo com com o CRR, caracteriza-se por dependência química:

  • A perda do controle do uso da droga faz com que o dependente não consiga interrompê-lo ou, uma vez que começa a usá-la, não consegue controlar as quantidades de droga que usa.
  • A substituição progressiva de atividades importantes como o lazer ou trabalho pelo uso da droga.
  • A persistência do uso da droga, apesar das suas consequências negativas.
  • A presença de fissura, ou seja uma vontade muito grande, quase incontrolável de usar a droga, que pode aparecer a qualquer hora do dia ou da noite.

Como tudo começou?

Fábio Assunção virou tema de um hit deste carnaval. A música, de autoria de Gabriel Bartz e cantada pela banda La Furia, diz: “Hoje eu vou beber / hoje vou ficar loucão / hoje eu não quero voltar pra minha casa não / Hoje eu vou virar o Fabio Assunção”.

Após saber do hit do carnaval 2019, o ator entrou em contato com a banda, a fim de que a renda dos direitos autorais fosse doada para uma associação de dependentes químicos. “Lembrem que eu respeito a zueira, amo a brincadeira, mas quero todo mundo bem, forte, feliz e consciente de seus atos e de sua vida”, explicou Assunção.

À revista Caras, Bartz, após a manifestação de Fábio, disse que:

"Não via o lado problemático do álcool, deste vício. Agora eu vejo que esse lance de uma cervejinha aqui, uma cervejinha ali às vezes não pode acabar bem para todo mundo, tem muita gente que sofre com esse problema. Eu fico muito feliz de estar podendo contribuir com o apoio de quem passa por esse tipo de problema, porque essa é uma questão de saúde pública e que merece a atenção de todo mundo, ainda mais nesse período agora de Carnaval, quando as pessoas às vezes podem passar do limite”.

Respeito

Nessa segunda-feira, 25, vários artistas postaram em suas redes sociais mensagens de solidariedade a Fábio Assunção, conforme divulgado pelo Estadão. Anônimos também se manifestaram criticando as brincadeiras que envolvem o ator e as máscaras. Uma das mensagens compartilhadas pelos internautas foi:

“Respeito é o ato de não fazer aos outros o que jamais gostaríamos que fizessem com a gente.
É dar espaço para que os outros expressem suas opiniões, sem discriminação ou punições...
É não maltratar, humilhar ou espezinhar as pessoas, simplesmente porque nos consideramos certos ou melhores...”.

Fábio Assunção se mostrou uma pessoa lúcida e humana ao dar visibilidade da luta que trava e de tantas outras pessoas que enfrentam a dependência química. Por isso, pensar é sempre o melhor caminho, seja para experimentar uma bebidinha ou uma droga, seja para dar uma opinião, mesmo que ela pareça inofensiva e apenas uma brincadeira de carnaval.

Talvez te interesse ler também:

CARNAVAL 2019: COMO PULAR DENTRO DO MÍNIMO IMPACTO AMBIENTAL POSSÍVEL

FANTASIA DE CARNAVAL: IMPROVISE TEU LOOK COM O QUE TIVER EM CASA

MÁSCARA DE CARNAVAL: FAÇA VOCÊ MESMO RECICLANDO MATERIAIS

Fonte foto

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!