Auschwitz, 75 anos depois: um vídeo que dá a noção do tamanho dos campos e do número de vítimas

Auschwitz, 75 anos depois: um vídeo que dá a noção do tamanho dos campos e do número de vítimas

A cada 27 de janeiro, em memória das vítimas do terrível Holocausto, recordemos as atrocidades cometidas pelo homem, para que nunca mais se repita um genocídio do tipo.

Infelizmente, o racismo tem a capacidade de penetrar lentamente no coração das pessoas, incitando o ódio e a competição, justificando atos de violência cada vez mais hediondos dentro de uma indiferença inatural.

Um mal que deve ser resistido “sem cair em tentação”, um mal que pode ser combatido lembrando-se do terrível massacre que causou o extermínio de comunidades inteiras, simplesmente “culpadas” por serem judias, ciganas, polonesas, homossexuais, deficientes, etc.

Uma loucura que foi crescendo lentamente na mente de pessoas de bem, por causa da astúcia ​​de uma propaganda doentia e desviante, cujo resultado foi infelizmente o que todos sabemos.

Para lembrarmos, e não repetirmos, a CNN dedicou um vídeo filmado por um drone que sobrevoou os campos de concentração de Auschwitz e Birkenau.

 

Em 27 de janeiro de 1945 fora liberado o maior campo de extermínio nazista, o Auschwitz-Birkenau. A data se tornou, em 2005 pela ONU, o Dia Internacional da Lembrança do Holocausto.

O campo é visitado por muitas pessoas todos os anos. E foi ali que a maioria dos 6 milhões de judeus foram mortos no genocídio causado por Hitler.

Em 2015, a BBC também fez um vídeo chocante para que essa barbaridade nunca mais se repita.

https://www.youtube.com/watch?v=449ZOWbUkf0

Talvez te interesse ler também:

O maior genocídio de todos os tempos não foi o Holocausto, mas o dos povos indígenas

Paraisópolis: erro operacional grave não. Genocídio sim

Gays torturados e mortos na Chechênia. Por favor, parem! Petição

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *