#MarielleFrancoPresente Brasil por Justiça! Brasil contra a violência! Chega de guerra!

  • atualizado: 

O que falar de uma pessoa com uma história de lutas e de vitórias que covardemente foi executada a tiros em uma cidade armada até os dentes, neste país em guerra?

De tudo vem se falando, lágrimas, raiva, promessas de justiça, manifestações e muito mais. A luta que deu lugar ao luto não pode parar em meio ao fogo cruzado que a Cidade Maravilhosa, cartão postal do país, vem vivendo há anos.

E se fosse só o Rio! O Brasil é um país não apenas bonito, mas também violento, por natureza! E os anos se passam sem que a situação mude. 

Por #mariellefrancopresente manifeste o teu repúdio ao cotidiano sanguinolento que somos obrigados a engolir, lembrando que os pobres são sempre os que sofrem mais.

A vida da 5ª vereadora mais votada no Rio, negra, favelada, mãe adolescente, mulher guerreira e sonhadora que sempre lutou por um país e uma sociedade melhor, mais justa e inclusiva, se apagou aos 38 anos de idade.

ONU, Anistia Internacional, Greenpeace, políticos, polícia, ao momento, todos bradam justiça mas realmente quando é que se esquecerão de MAIS esta vítima? O nosso medo é de que, em breve, tudo caia no esquecimento ou pior, seja encoberto por um outro crime, ou um por um outro absurdo dos absurdos brasileiros:

Vai ter manifestação!

Ato Contra o Genocídio Negro, Marielle presente! Quinta-feira, 15 de março às 17:00 – 20:00 - Vão Livre do MASP- Avenida Paulista - São Paulo

atos marielle

Fonte foto

Como disse Paulo Celestino: "além de ser o assassinato de um ser humano, é o assassinato de um sonho, de um outro país".

Participe das manifestações! Brasil por Justiça! Brasil contra a violência! Chega de guerra!

Não calem as vozes da favela

Segundo Lorenço da Silva, diretor do Centro de Estudos e Ações Solidárias da Maré e amigo de Marielle: "O recado foi para favela, não foi para esquerda branca e macho do Rio. Não se deram nem ao trabalho de fingir um crime comum. A ideia foi falar para o favelado: se cuida, vocês não têm espaço, não saiam, não gritem, não denunciem. Concordem!". Na opinião dele, "o crime foi uma reação de setores armados do Estado à ascensão de uma favelada que podia levar a voz do morro — e denúncias — para espaços nobres de debate".

Vidas nas favelas importam. Não calem suas vozes.

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!