Brasil, um país de celular na mão, mas saneamento básico que é bom…

  • atualizado: 
saneamento básico

Os dados são da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística): 92,3% das famílias brasileiras têm pelo menos um dos seus membros possuidor de aparelho celular, enquanto apenas 66% da população conta com adequado tratamento de esgoto em casa (saneamento básico).

O acesso à tecnologia geralmente está ligado ao desenvolvimento econômico. Mas o que dizer deste caso onde, embora haja um rápido avanço no acesso à tecnologia, uma questão básica relacionada à saúde ao bem-estar da população ficou pra trás?

Ter água potável é fundamental, ter esgoto tratado é fundamental, ter coleta e tratamento do lixo é fundamental. Sem saneamento básico não se pode falar em país desenvolvido.

Outros dados da pesquisa divulgados pelo oGlobo:

  • 27% das famílias brasileiras têm fossas mas NÃO conectadas à rede de saneamento básico;
  • O sudeste brasileiro é a região mais desenvolvida: 89% das casas têm tratamento de esgoto;
  • No nordeste, pasmem, apenas 19%!

 

E os celulares?

As disparidades regionais diminuem consideravelmente quando se fala em acesso ao celular:

  • No norte e no noderste, 88% das famílias têm pelo menos um de de seus membros com celular;
  • Sudeste, 93,7%.
  • E é o celular que dá o maior acesso à internet (94%) em 63% dos lares brasileiros que acessam a rede.

 

Celular x Saneamento Básico

Não é o caso de comparar dois bens assim diferentes. A tecnologia e o acesso à informação, é claro, são importantes mas o acesso à água encanada e ao tratamento de esgoto é um direito que deve ser assegurado a todos os brasileiros. A falta de saneamento básico está associada à várias doenças, desde uma “simples diarreia”, ao casos de chikungunya, zika, dengue…tudo está relacionado ao saneamento básico.

No Brasil, segundo a lei nº 11.445, de 5 de janeiro de 2007 saneamento básico “é um conjunto de serviços, infraestruturas e instalações operacionais de abastecimento de água potável, esgotamento sanitário, limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos e drenagem e manejo das águas pluviais urbanas” fundamentais para garantir bem-estar e saude à população. Tais serviços diminuem ou eliminam os vetores de doenças e contribuem para a preservação ambiental, pois evita a poluição do solo, da água e do ar que são contaminados sem os devidos serviços de limpeza e tratamento.

Um país com celular na mão não é um país rico, nem sequer um país desenvolvido. Já um país onde 100% da sua população tem acesso ao saneamento básico, é um país pronto para se desenvolver em todas as suas potencialidades.