Na Grécia, pela primeira vez, a Presidência da República é ocupada por uma mulher (e defensora do meio ambiente)

Berço da res publica, embora esta expressão seja latina, é na polis grega que os fundamentos republicanos começam a se desenhar.

Politika, que vai culminar em política, é o termo grego originário de polis, que significa cidade como uma comunidade organizada por cidadãos livres. Estes, na Grécia antiga, eram homens. Isso significa que a polis era uma comunidade exclusiva da qual estavam excluídas as mulheres, já que elas eram consideradas “não-cidadãos”, assim como os escravos e os estrangeiros.

Foram necessários milhares de anos para uma mulher chegar ao topo da hierarquia política na Grécia. Pela primeira vez na história, o país mediterrâneo tem uma mulher como presidente da República. O nome dela é Ekaterini Sakellaropoulou, que foi eleita em primeira votação com 261 votos em 300. Ela substituirá Prokopis Pavlopoulos, cujo mandato termina em março.

Ao saber de sua vitória eleitoral, ela sentenciou:

“Esta tarefa é uma honra para todas as mulheres gregas”.

Quem é ela

A primeira presidenta grega é uma juíza especialista em direito ambiental e constitucional. Durante quatro anos, ela foi chefe do Conselho de Estado, o mais alto tribunal administrativo da Grécia, sendo, também, a primeira mulher a desempenhar o cargo.

Sakellaropoulou, embora não seja vinculada a nenhum partido político, contou com o apoio do partido de centro-direita Nova Democracia e dos partidos de centro-esquerda KINAL e Syriza, conseguindo um consenso político no país.

Sobre a votação, o primeiro-ministro Kyriakos Mitsotakis disse que a nomeação de Sakellaropoulou

“é uma mudança em uma sociedade que ainda discrimina as mulheres”.

Além de a juíza ser a primeira mulher a tornar-se presidente da Grécia, ela se destaca, ainda, por seu protagonismo na causa ambiental, já que vem acompanhando vários processos de crimes ambientais em sua atuação na magistratura. Além disso, já escreveu vários artigos sobre proteção florestal, energia renovável e o impacto da infraestrutura no meio ambiente.

Curriculum

Ekaterini Sakellaropoulou é formada na Universidade de Atenas, com especialização em Direito Constitucional pela Universidade de Sorbonne, em Paris. Em 1982, foi nomeada relatora do Conselho de Estado, do qual se tornou conselheira. Em 2015, foi nomeada vice-presidente do mesmo Conselho e, em 2018, sua presidente. Sakellaropoulou lecionou na Escola Nacional do Judiciário e serviu em várias comissões consultivas, incluindo o Conselho Disciplinar do Ministério das Relações Exteriores.

Em 2020, abre um novo período na sua carreira e no seu país ao tornar-se a primeira presidenta da república grega. Que ela faça um bom governo para o seu povo, pensando no meio ambiente.

Talvez te interesse ler também:

Quem é Claudia López, a futura prefeita de Bogotá que está bombando nas redes sociais

Conheça os princípios de empoderamento das mulheres

Afinal, o que é feminismo?

Sobre Gisella Meneguelli

Gisella Meneguelli
É doutora em Estudos de Linguagem, já foi professora de português e espanhol, adora ler e escrever, interessa-se pela temática ambiental e, por isso, escreve para o GreenMe desde 2015.

Veja Também

Coronavírus: como na guerra, Itália usa toque de recolher e povo se rebela

Na Itália o termo lockdown está em desuso. Talvez ele cause gastura em um povo …