A incrível vida dessa jovem chinesa que produz tudo sozinha. Simplicidade ou propaganda?

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

Li Ziqi faz o Rodrigo Hilbert parecer brincadeira de criança. A vlogger virou celebridade na Internet com os registros de seu cotidiano no campo, na província rural de Sichuan, no sudeste da China. Lá, vive com seus avós e produz praticamente tudo: alimentos, roupas, maquiagens, ferramentas, utensílios domésticos e até mesmo móveis de bambu.

Nas imagens idílicas, com muitos planos abertos que exploram a paisagem bucólica, a jovem, que nunca fala, aparece cuidando dos animais, preparando pratos elaborados, cortando lenha, montando a cavalo, fazendo a própria maquiagem a partir das rosas do jardim, confeccionando roupas e tingindo-as com pigmentos extraídos de frutas silvestres, ou dedicando-se à construção de móveis segundo técnicas que aprendeu com seu pai.

Como resumiu a publicação Mashable Italia, sua vida é uma mistura de conto de fadas com curso de sobrevivência. Trata-se de uma verdadeira ode à cultura, às belezas naturais e à tradição chinesa, e, por isso mesmo, vem levantando diversas suspeitas.

Será que, por trás de Li, não há uma máquina de propaganda, pensada para divulgar uma imagem de seu país completamente diferente da que costuma ser disseminada mundo afora?

O contrário exagero

Em vez das cenas de cidades superpopulosas e do céu que mal se vê por conta das camadas de poluição, no cotidiano de Li tudo é poesia.

A Mashable Italia descreve algumas das produções da vlogger para explicar a origem de tanta desconfiança. Por exemplo, o vídeo sobre como fazer molho de gema de ovo começa com a galinha e sua ninhada. Para ensinar uma receita de molho de soja, primeiro vem o semear da leguminosa. Nas imagens em que mostra o cuidado com a avó, até a simples tarefa de arrumar a cama passa antes pelos casulos de seda que vão se transformar em um cobertor. Antes de escrever uma carta, Li produz o papel, feito com arroz.

Nas redes sociais, ela tem 50 milhões de seguidores chineses e outros 8 milhões em outros países. Com 8,29 milhões de seguidores no YouTube, alguns de seus vídeos têm mais de 40 milhões de visualizações, mas ela permanece um mistério para todos e raramente concede entrevistas. No entanto, há poucos meses Li Ziqi falou com exclusividade à publicação Goldthread, a primeira entrevista a um veículo com notícias em inglês.

A história de Li

Segundo conta, foi morar com os avós depois de ter sido maltratada pela madrasta. Como eles eram pobres, para sobreviver, aos 14 anos Li foi trabalhar na cidade. Mas, quase uma década depois, em 2012, ela decidiu voltar ao campo para cuidar dos avós e viver uma vida em contato com a natureza. Em 2016, começou a registrar seu cotidiano em vídeo.

“Na sociedade atual, muitas pessoas se sentem estressadas. Elas enfrentam muitas pressões na vida e no trabalho. Eu quero que elas relaxem e experimentem algo agradável, para liberá-las um pouco da ansiedade e do estresse” […] Quando eu trabalhava na cidade, tratava-se de sobrevivência. Agora, quando trabalho no campo, sinto que estou vivendo de verdade,” declarou à Goldthread.

Li, que disse não dar atenção às suspeitas em relação ao que faz, afirma que também têm a intenção de mostrar às pessoas da cidade a origem do alimento que consomem.

“Uma amiga minha que é professora uma vez me contou que alguns de seus estudantes pensavam que o arroz crescia em árvores”, acrescentou.

Simplicidade ou propaganda?

Será que tudo se trata mesmo de propaganda? Contaria Li com alguma espécie de aparato para realizar tudo o que diz fazer sozinha? Ou estamos todos tão distantes de uma vida natural, como era a dos nossos antepassados, que já não conseguimos concebê-la como uma maneira possível de existência? Enquanto o mistério não se soluciona, vale a reflexão.

Talvez te interesse ler também:

Na Bolívia, a Mãe Terra é um Ser Vivo e Sagrado, por lei, plena de direitos

China: mãe planta milhões de árvores para reflorestar área desértica, em memória do seu filho

A primeira empresa espanhola a introduzir a semana de trabalho de 4 dias

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Jornalista e mestre em Ciência da Religião. Tem 18 anos de experiência em produção de conteúdo multimídia. Coordenou diversos projetos de Educação, Meio Ambiente e Divulgação Científica.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Siga no Instagram
Siga no Facebook