O apelo do Papa Francisco pelos refugiados

papa-francisco

O número de pessoas refugiadas no mundo não para de crescer, assim como os problemas que elas enfrentam em seu cotidiano.

Os refugiados vivem em situação de vulnerabilidade, pois são fugitivos de guerras, perseguições e outros tipos de violência em seus países de origem e, também, nos países para aonde vão. Em 2015, estimava-se que o número de refugiados no mundo era de 65,3 milhões.

Essas pessoas procuram como destino principal a Europa, pela proximidade com o seu país, a fim de preservarem suas vidas. A guerra da Síria, por exemplo, é a principal causa mundial de fugas, atualmente, sendo que cerca da metade dos refugiados são crianças.

O que fazer com essas pessoas que precisam de tanta ajuda? Fingir que elas não existem, já que estão longe de mim? Negar-lhes apoio, já que não é problema meu? Independentemente de orientação religiosa, humanamente essas não são as melhoras atitudes a serem tomadas ou pensadas. Infelizmente, a chegada de refugiados tem provocado o aumento de reações xenófobas e a exaltação nacionalista, principalmente em países europeus. Entretanto, os refugiados não são causadores de problemas, mas sim vítimas de muitas dessas nações que hoje negam-lhes ajuda. 

Preocupado com a dignidade das pessoas refugiadas, o Papa Francisco mais uma vez fez um apelo em nome delas nesse domingo (14). Durante a celebração do Angelus na Praça São Pedro, no Vaticano, o líder católico disse que as pessoas devem atender ao pedido de Deus para ajudarem àquelas que fogem perseguidas de seus países.

"É o próprio fogo do Espírito Santo quem nos faz ficar próximos dos outros, das pessoas que sofrem, dos necessitados, de tantas misérias humanas, de tantos problemas: dos refugiados, dos solicitantes de refúgio. É aquele fogo que vem do coração", disse o pontífice.

Não é a primeira vez que o Papa pede pelos refugiados. Desde 2013, quando assumiu a liderança da igreja católica, ele discursa em prol dos refugiados, sobretudo, com o aumento da crise migratória no mundo e os problemas decorrentes dela. 

No dia 11/8, o Papa Francisco deu um exemplo de acolhida ao almoçar com refugiados sírios no Vaticano.

Especialmente indicado para você:

OLIMPÍADAS DA INCLUSÃO: CONHEÇA A DELEGAÇÃO DOS REFUGIADOS

REFUGIADOS E TRÁFICO DE PESSOAS: TRAGÉDIA E AJUDA HUMANITÁRIA

Fonte: ebc