Calcinhas manchadas de sangue e expressões de desespero: ato em Copacabana denuncia o abuso contra as mulheres

Ato em Copacabana

A ONG Rio de Paz promoveu no último dia 6 um ato público na praia de Copacabana contra o abuso sofrido pelas mulheres.

420 calcinhas manchadas de sangue representaram na manifestação, a quantidade de estupros sofridos a cada 72 horas pelas mulheres no Brasil.

E os números seriam mesmo simbólicos pois a realidade pode ser muito pior dado que muitas mulheres preferem não denunciar e não entram nas estatísticas oficiais sobre este tipo de violência.

Não me Calarei” é o nome da exposição de fotos realmente tocantes feitas por Márcio Freitas.

O ato buscou abrir o debate sobre um tema tão pessoal mas que precisa ser discutido para que possamos esclarecer sobre a necessidade de denunciar e mudar o que vem sendo chamado de cultura do estupro, um conjunto de pensamentos e ações onde a violência contra a mulher é tão normal que muitas vezes é até incentivada.

As fotos de rostos femininos visivelmente sofridos, trazem uma mão sobre a boca, símbolo do silêncio, do abuso, do medo e da submissão.

ato rio mulher 2

ato rio mulher 3

ato rio mulher 4

Os números da violência contra a mulher no Brasil podem ser vistos no link abaixo:

Leia também: SOMENTE NO SUS, A CADA 4 MINUTOS, 1 MULHER VÍTIMA DA VIOLÊNCIA É ATENDIDA

Estupro, abuso doméstico, violência de gênero, misoginia, feminicídio...nomes diferentes que contêm apenas uma triste realidade: a violência contra as mulheres é o pão nosso de cada dia onde ainda se escondem preconceitos e estereótipos.

Leia também: CULTURA DO ESTUPRO: É URGENTE ACABAR COM ISSO

Fonte fotos: Voice of America