Kriti Bharti: a mulher corajosa que impediu 900 casamentos infantis na Índia

kriti-bharti

Com seus apenas 29 anos de idade, ela já conseguiu impedir mais de 900 casamentos infantis no norte do estado de Rajasthan, na Índia. Kriti Bharti é uma psicóloga e ativista que há anos luta contra a prática incomum que permite o matrimônio de meninas.

Graças à sua organização beneficente, a Saarthi Trust, Bharti também conseguiu cancelar 29 casamentos feitos e ajudar na reabilitação de mais de 6 mil crianças e de mais de 5 mil mulheres.

“Meu trabalho significa muito para mim e eu dedico toda a minha vida a ajudar estas crianças vulneráveis ​​que são forçadas por suas famílias a se casarem com homens adultos contra a sua vontade. Tudo isso só para respeitar uma tradição, diz Kriti Bharti.”

Embora matrimônios deste tipo já sejam proibidos em diversos estados, nas regiões mais pobres da Índia, o fenômeno do casamento infantil continua acontecendo com graves consequências psicológicas às meninas.

“Em Rajasthan, os casamentos infantis são ainda muito comuns. E uma vez que eles são interrompidos, a criança vem a ser tratada como uma excluída socialmente. A organização que eu dirijo trabalha no sentido de ajudar as crianças a se tornarem novamente parte da sociedade, explica a ativista.

kriti-bharti-2

No Saarthi Trust existem muitas meninas. Algumas famílias, mas também alguns órgãos do governo, organizam atividades de consultoria enquanto voluntários sensibilizam a população indiana sobre os efeitos negativos do casamento infantil.

Há visitas às escolas, eventos em locais públicos destinados a demonstrar que alternativas existem e são possíveis. Mas certamente, o maior desafio é minar, além desta tradição absurda, a tradição que ainda permanece ligada à anulação do casamento porque requer o consentimento não só da esposa, mas também dos pais do noivo e dos anciãos do vilarejo. Não é incomum a necessidade de tomar medidas legais a fim de restaurar a infância e a vida destas meninas.

Outro problema tem a ver com a pobreza. Os casamentos infantis não deixam de ser uma forma de desespero econômico e uma fonte de renda para os pais que vendem suas filhas. Em alguns países, quanto mais nova for a noiva mais alto é o seu preço

Juntamente com as muitas histórias de meninas salvas, há também historias de adolescentes. Bharti arriscou sua vida para salvar uma jovem de dezessete anos que fugiu de seu marido alcoólatra.

“Eu encontrei a jovem às 4 horas da manhã no deserto de Rajasthan e ela estava apavorada, tamanho era seu desespero que ela preferiu arriscar sua vida no deserto em vez de permanecer naquela família. Ela chorava muito quando entrou no carro comigo, me abraçou e me contou sua história”.

Agora, a maior preocupação da Bharti é manter em segurança a garota tentando anular o seu casamento, o que não é nada fácil pois ela vem da comunidade Bhandiawas de Rajasthan, onde os crimes de honra são bastante comuns.

“Sua reabilitação na sociedade é a nossa prioridade. Vou tentar falar com sua família e seu marido e fazê-los compreender que este tipo de casamento é impossível”.

kriti-bharti-3

Kriti é uma mulher de coragem e nada pode parar a sua determinação em ajudar suas conterrâneas. A escolha provavelmente tem a ver com sua triste infância, ditada pelo abandono do pai após o seu nascimento.

A gravidez da mãe tinha sido turbulenta, seus parentes queriam interromper a gravidez. Quando criança, Kriti foi envenenada e forçada à deixar a escola. Durante a vida, ela teve sucesso graças à tenacidade em retomar seus estudos e obter um doutorado em psicologia. Seu compromisso tornou-se símbolo de uma comunidade que luta e por isso Bharti recebeu inúmeros prêmios internacionais.

“Até quando eu puder eu lutarei para evitar os casamentos infantis, uma tradição que tem que acabar. Precisamos educar as comunidades rurais para uma possível mudança, conclui”.

Leia também:

setaMULHER DE 40 QUE TOMA CHÁ DE AMORA É MAIS FELIZ

seta10 COISAS QUE FAZEM UMA MULHER BONITA, MESMO SEM MAQUIAGEM

setaOS 10 NUTRIENTES FUNDAMENTAIS QUE TODA MULHER PRECISA