Terrenos baldios antes sujos e abandonados, agora produzem alimentos

Experiências de cultivo em terrenos baldios acontecem em várias partes do mundo e sempre são muito interessantes, pois não só produzem tomates e outros hortícolas, como também produzem consciência ambiental e solidariedade.

Este é o caso de uma pequena cidade na Alemanha, Andernach, que decidiu cultivar produtos alimentícios nos seus terrenos baldios. Produtos que há muito tinham sido esquecidos mas que agora voltam às áreas verdes da cidade.

Há 3 anos o projeto teve início pelas mãos de um técnico local de planejamento urbano. Não foi fácil convencer aos que dirigem a cidade. Bem mais fácil foi convencer ao povo, que adorou a idéia.

Hoje os terrenos baldios, antes sujos e abandonados em Andernach, produzem verduras, legumes e flores. Tudo pode ser coletado por todos, livremente, desde que com respeito, pois o bem é público, quer dizer, o bem é de todos os cidadãos. Então, cada um cuida para que, na próxima semana possa vir buscar a sua salada fresquinha.

A prefeitura local acabou concordando e se decidiu a apoiar o projeto com máquinas e mão de obra para a manutenção. Nos canteiros produtivos estão trabalhando aqueles que, há muito estavam desempregados e sem encontrarem outras opções, viviam por conta de subsídio desemprego. Agora, esses trabalhadores recuperaram sua dignidade e vontade de viver já que se sentem úteis. Seu trabalho dá frutos, visíveis, cheirosos, saborosos e que os munícipes aproveitam em suas mesas. Isso fez com que os antes tidos como “desocupados” adquirissem um novo status, o de trabalhadores. Já não são desconhecidos, são os jardineiros dos canteiros. E para o município sai até mais barato do que manter os baldios em situação de baldios.

Hoje, qualquer um pode cultivar em qualquer terreno verde da cidade de Andernach. Ao lado das muralhas históricas se encontra uma variedade de árvores frutíferas – ameixeiras, marmeleiros e caquizeiros. Das rasteiras, encontra-se morangos e vagens, abóboras e abobrinhas, que a população colhe, conforme suas necessidades. Repolho, couves e rábanos também há disponíveis. Os cuidadores, diariamente, limpam e mantêm, e há placas avisando quais as que ainda não estão maduras, e quais estão, assim não há estragos.

"Não temos mais nenhum problema com vandalismo desde que plantamos vegetais comestíveis nos canteiros", conta Karl Werf, funcionário do Juizado de Menores de Andernach e co-organizador do projeto Cidade Comestível.

Andernach hoje é conhecida como “Cidade Comestível” e atrai muitos turistas, justamente por esse motivo. Muita gente quer conhecer essa cidade que hoje implanta um conceito novo de permacultura entremeado pela vida urbana normal de uma cidade com suas ruas e comércios. Os residentes, entusiasmados com a ideia, cultivam em seus jardins residenciais também, onde se podem ver, não só flores mas, a fartura de hortícolas que antes eram comuns e agora, outra vez, integram o ambiente.

Mas, o principal é que Andernach ganhou em consciência cidadã, aprendeu o valor da solidariedade, de que todos unidos podem mudar a realidade.

Isso muda o sistema econômico que os governa? Não, mas muda a consciência de cada um e, pouco a pouco, ajuda a construir uma sociedade melhor para todos.

Veja, no vídeo, um pouco dessa experiência interessante e bonita. E ajude a replicar a idéia de que sim, se pode plantar alimentos em praças e terrenos baldios.

Faça a diferença, então!

Leia também: GUERRILLA GARDENING EM BERLIM: CAPITAL DA HORTA PARA TODOS

Fonte foto: freeimages.com