Construir um mundo melhor só depende de você, sabia?

Pois é, a gente sempre fica esperando que outro faça o que é preciso: plantar a árvore no parque, limpar a calçada, gastar menos água, produzir menos resíduo, reciclar com maior qualidade, reutilizar de forma mais direta, compostar a matéria orgânica, limpar a praia, ajudar a velhinha a atravessar a rua, dar um bom exemplo para a criança do vizinho...

Uma lista infindável e eu não tenho o artigo todo para a detalhar.

Mas, na verdade, verdadinha, a mudança começa com as tuas atitudes. SIM, AS TUAS, MESMO!

Se você separar seu lixo, levar o material reciclável até o ecoponto, compostar o material orgânico, bem, você, sozinho já estará reduzindo em 50 %, pelo menos, a quantidade de lixo que irá para o aterro da tua cidade. Faça as contas, então, se cada um dos teus vizinhos fizer o mesmo.

E, sabe aquela vala aberta lá atrás, no bairro, onde fica um ajuntamento de entulho? Pois. Quem sabe se você começar a arrumar, devagarinho, outros não sigam o teu exemplo e, num piscar de olhos, o bairro ganhe mais um lugar bom para se fazer caminhadas? Ou uma boa área para aquela horta comunitária que alguns sonham em fazer?

Toda essa “falação” é só para lembrar que A MUDANÇA COMEÇA COM CADA UM DE NÓS!

E assim, lembro aqui da experiência do Sr. Hélio da Silva quem, há mais de uma década, planta e mantêm as árvores do primeiro parque linear da Cidade de São Paulo – o Tiquatira, na Penha, formado em 2003.

Para o Sr. Hélio, como ele mesmo conta no vídeo acima plantar árvores é uma missão de vida. Hoje ele está aposentado, continua fazendo suas caminhadas pelo parque, conhece cada uma das árvores que plantou, continua cuidando e plantando. Quando Sr. Hélio começou esse trabalho, há mais de 13 anos, ele ainda estava na ativa, administrador de empresas e decidiu plantar porque o parque estava pelado. Era uma área reta, às margens do córrego Tiquatira, usada como estacionamento, sem nenhum atrativo, nem sombra.

As mudas, de 176 espécies diferentes, 95% de nativas da Mata Atlântica, Sr. Hélio traz de viveiros do interior do estado de São Paulo. Primeiro ele plantou 200 mudas, que foram arrancadas. Insistiu com mais 400, destruídas também. Em seguida, 5000 mil – essas ficaram em pé, muitas sobreviveram. Hoje estão lá bem mais do que as 20 mil mudas de que fala o vídeo acima. Hoje todos cuidam do parque pois já o entendem como seu patrimônio.

“Quando a gente começa a mudar as coisas, você percebe que tudo o que está ao seu redor começa a mudar também, você é o agente de mudança, você é o agente de transformação. A etapa mais fácil é colocar mãos à obra, realizar. Você não faz para os outros, faz para você mesmo”.

Leia também: ANEŽKA, A VOVÓ ARTISTA QUE PINTA FLORES NOS MUROS DE SUA CIDADE