Na Índia, 111 árvores para cada menina que nasce

vilarejo india

Um problema cultural que ganhou escala nacional no segundo país mais populoso do mundo. A prática de abortos seletivos na Índia é comum, e as meninas são as escolhidas pelas famílias para não virem ao mundo. Isso acontece porque naquele país, o filho homem é quem perpetua a linhagem familiar, herda as propriedades e cuida dos pais na velhice. Já às mulheres, é costume que os pais devam pagar um dote à família do namorado no ato do casamento acertado.

Mas nem tudo está perdido. Uma pequena fagulha cultural surge em um vilarejo da Índia, no qual, para cada menina que nasce, 111 árvores são plantadas na região, para comemorar a vida da criança.

Em um país que favorece o nascimento do filho homem, a vila Piplantri em Rajasthan, abraça suas filhas e ainda dá à Índia e, porque não ao mundo, uma tradição que beneficia a população local e o planeta.

Plantando árvores na Índia

O esforço é uma ideia consciente da vila, na esperança de ver suas ações cativarem outros pontos da Índia e fazê-los enxergar a importância de querer ter filhos independentemente do sexo e encerrar o aborto seletivo de bebês meninas, assim como mostrar ao mundo que a vida deve ser celebrada com mais vida, que é, neste caso, representada pelas 111 árvores novas.

Como vimos, em Itaperuna, no estado do Rio de Janeiro, a prefeitura também está plantando uma árvore para criança que nasce.

No caso indiano, estas árvores, e especialmente as plantas de aloe vera, são agora uma fonte de subsistência para vários moradores locais.

Produtos indianos

No caso brasileiro, as árvores ajudam a refrescar uma das regiões mais quentes do país.

A Índia, o Brasil, o meio ambiente e o mundo inteiro, agradecem estes maravilhosos exemplos humanitários e de responsabilidade ambiental.

Leia também: Excesso de CO2 no ar impede as árvores de crescerem rapidamente

Fonte fotos: folomojo.com