Duas pessoas se beijam atrás de uma tela e o público vai ao delírio. Emocionante!

Duas pessoas se beijam atrás de uma tela

Dia dos namorados, Valentine's Day, 2015. O vídeo que virou viral é mesmo emocionante. Apesar de sabermos que toda a forma de amor vale a pena, nos emocionamos ao lembrarmos que o discurso não se restringe apenas a uma questão sexual.

Amor é amor, diz o vídeo, não tem gênero, não tem rótulo.

O vídeo nos lembra a força do amor no respeito às religiões, às pessoas portadoras de deficiência, às crianças, às mulheres, aos idosos, às pessoas de diferentes etnias, ao amor de pai, pais gays, pais que adotam, pais que tem filhos naturais, com inseminação artificial.

Amor às pessoas que pensam diferente de nós, que votam em outros candidatos que não os nossos. Amor aos pobres que nasceram debaixo da violência das favelas e que são discriminados por essa condição. Os viciados em drogas, os mendigos que estão, sabe-se lá porquê, jogados pelas ruas da cidade, os presos que estão cumprindo pena e merecem a chance de se reintegrarem, de trabalharem, de se arrependerem.

A lista nunca acabaria pois o nosso preconceito é grande e velho como o próprio mundo.

O vídeo é viral porque nos lembra do amor e do respeito ao próximo, de uma forma muito simples: somos todos iguais.