As Rodas da Vida, da Fortuna, a Roda-Gigante. Símbolos de Transformação e Movimento

  • atualizado: 
Roda-Gigante

A roda, como símbolo, pode representar várias conhecimentos, ensinamentos e aspectos de nossa Vida e do Universo. Um dos símbolos mais conhecidos associados ao sentido místico e esotérico da roda, é o do Zodíaco, que se relaciona com a roda da vida. Sobre os vários significados da roda, como símbolo cultural, esotérico ou místico, veremos a seguir 

1. O Símbolo da Roda

A roda nos remete a tudo que é cíclico e que está em continuidade e movimento

  • Nascimento/Morte
  • Idas e Vindas
  • Início e fim
  • Partida e retorno
  • Encontros e desencontros
  • Altos e baixos, entre muitos outros movimentos.

Estes são alguns exemplos da roda da existência a se movimentar pela Vida

Muitas culturas, religiões e tradições milenares utilizavam a roda como símbolo esotérico e espiritual.

rodas simbolo

2. A Roda como Símbolo Universal

A roda figura como símbolo, em várias áreas do conhecimento humano e universal, pois representa o movimento contínuo da vida:

  • os ciclos do Sol e da Lua
  • a órbita dos planetas
  • as estações do ano
  • a ascensão e queda das grandes civilizações e impérios.

 

3. A Roda como Símbolos Religioso e Cultural

A roda figura como simbologia em várias religiões antigas:

  • Os tibetanos têm a roda como símbolo sagrado
  • Os índios americanos utilizavam rodas medicinais no deserto, como símbolo do Cosmos.
  • No budismo, a Roda está associada ao Carma e ao Darma e tem oito raios, o número 8 simboliza o Nobre Caminho Óctuplo, que conduz ao fim do sofrimento e está ligado ao Eterno

 

3.1. O Selo de Shamash

Shamash era o deus Sol na Mesopotâmia. O selo de Shamash remete ao período aproximado do ano 1000 a.C. da Civilização Mesopotâmica. Este símbolo tem o significado de muito poder, associado ao Sol. 

Representado por um círculo exterior com o ponto central e quatro conjuntos de raios, os feixes horizontais e verticais representam o poder de Shamash, nas quatro direções, norte, sul, leste e oeste. 

Este símbolo se relaciona com o Poder Cósmico Divino.

3.2. A Semente da Vida

A simbologia da Semente da Vida figura em muitas culturas antigas e é encontrada em vários lugares sagrados, tais como:

  • templos chineses e japoneses
  • mesquitas do Oriente Médio
  • sítios arqueológicos na Turquia, México e Peru.

O sentido deste símbolo está associado a criação e sustentação da vida. Formado com sete círculos diâmetros iguais, esse símbolo é o componente de outro maior, a Flor da Vida. Para tradições judaicas e cristãs, o círculo da Semente da Vida tem relação com o processo de Criação do Mundo. 

3.3. Tomoe

Este emblema é utilizado tanto no xintoísmo, quanto no budismo e pode figurar em brasões samurais japoneses. A palavra Tomoe significa curva ou círculo. A imagem do Tomoe pode ter dois, três ou quatro hastes internas, em formato de vírgula, formando uma espiral. 

O Tomoe com duas vírgulas internas é parecido com o Yin-Yang e carrega o mesmo significado de dualidade e complementariedade.

Já o sinal com três vírgulas alegoriza a terra, o céu e a humanidade, que são os três fundamentos da filosofia xintoísta.

3.4. Yin-yang

O Yin-Yang é um símbolo do Taoismo e tem origem chinesa.

A figura do Yin-Yang é representada por um círculo com uma linha interna em “S” invertido, que o divide em duas partes, uma de cor preta e a outra, branca.

Os pontos, em cada um dos lados, significam a integração entre esses opostos.

Esse símbolo significa a interação e relação entre as forças opostas.

O Yin representa o feminino, a noite, a Lua, o passivo, o frio, ente outros.

O Yang representa o masculino, o Sol, o dia, o calor, a ação, entre outros.

3.5. Awen

Esse símbolo tem relação com o Neodruidismo. O sinal é formado de três linhas convergentes, que quase tocam três pontos superiores e são rodeadas por um círculo triplo, que simboliza as ordens dos Bardos, dos Ovates e dos Druidas.

Cada linha e cada ponto contém um significado que se relaciona com passado, presente e futuro; amor, conhecimento e verdade; energia masculina, feminina e a complementariedade, entre ambas.

3.6. Cho ku rei

O símbolo do Cho Ku Rei é utilizado no Reiki, uma terapia espiritual de cura, com a energia que emana do Universo, através das mãos. 

A representação do Cho Ku Rei parece uma clave de sol, um símbolo musical. No Reiki, este símbolo é usado para amplificar o poder vital, em cada pessoa que aplica a imposição das mãos, como terapia de cura e energização.

Os Reikianos fazem o sinal, mentalmente, antes e depois de aplicarem a terapia de imposição das mãos, naqueles que recebem a energia universal, através dese ato terapêutico, místico e transcendental

4. A Roda da Fortuna

roda fortuna

No Tarot, a roda da fortuna é o 10º arcano maior e é representada por uma roda com seis raios. No alto da roda há uma figura que parece metade anjo, metade diabo. À volta da roda tem um bebé, um menino, um jovem, um homem e um idoso.

A roda da fortuna faz alusão ao ciclo da vida e figura, na carta 10 do tarot, em um ambiente com os quatro elementos: fogo, água, terra e ar.

Esta carta representa a Roda do Samsara e tem relação com os movimentos da Existência e da Vida: ascensão e declínio; vitória e derrota; sorte e azar; sucesso e fracasso; juventude e velhice; alegria e tristeza; riqueza e pobreza, e, assim, por diante.

A Roda da Fortuna faz alegoria as oscilações da existência, do destino, ao movimento cíclico da Vida e ao Eterno Retorno, para ilustrar isso, pode-se usar o exemplo da árvore: a semente brota, vira planta, cresce, floresce, frutifica, seca e morre e sua matéria fertiliza a terra e as sementes de seus frutos se convertem em novas árvores, é o movimento da Roda da Fortuna, na existência dos seres vivos.

5. A Roda-Gigante

A roda-gigante fascina, tanto crianças como adultos.

Em toda parte do mundo podemos encontrar a roda-gigante ,como expressão de arquitetura, entretenimento e diversão. O que atrai na roda-gigante é o movimento de subida e descida se alternando e provocando diversas sensações, desde curiosidade, prazer, alegria ou até medo.

Isso lembra que a Vida também é assim, em cada fase, experiência, mudança, oscilamos na roda de nossas emoções e vamos passando por mudanças, ora estamos no alto, ora embaixo.

A vida também é uma roda com altos e baixos, subidas e descidas ou, até, pausas.

Conforme a roda vai rodando, muitas paisagens vão aparecendo nesse movimento: alegres ou tristes; agradáveis ou desagradáveis; ricas ou pobres; prósperas ou miseráveis; saudáveis ou doentes; novas ou velhas; harmônicas ou conflituosas; estimulantes ou cansativas; de encantamento ou frustração, e, assim, por diante.

Através dos movimentos da roda, vamos experimentando os opostos e, quiçá, encontrando o equilíbrio, sabendo valorizar o essencial, o verdadeiro, o que o Budismo chama de Caminho do Meio.

Conhecendo os dois lados da Roda, podemos ir percebendo e valorizando cada experiência como uma forma de conhecer a expressão do TODO em nós e na Vida.

Nada se perde, para o nosso desenvolvimento, pois, vamos nos transformando nesse movimento, e, no que cabe nossa responsabilidade, irá depender de nós se para melhor ou para pior.

Para saber o sentido e a importância da alegria, precisamos conhecer a tristeza. Saber valorizar o sucesso, conhecer o fracasso. Os opostos, se complementam e interagem entre si em nossas Vidas.

Cada ser humano tem sua roda-gigante: em uns é mais colorida e radiante. Tem aquelas que são enormes, com muita gente. Outras estão vazias. Alguns rodam lentamente. Já outros acelerados. Há, também aqueles em que a roda está desgastada, quase enferrujada, precisando de um reparo.

Nós, na Vida, estamos  girar vivendo ciclos, etapas e fases. Quando estivermos, embaixo, lembremos que a roda gira e que se soubermos seguir com seu movimento, iremos subir, e nesse fluxo, o mais importante é saber que tudo passa, mas o que fica, é tudo que aprendemos, crescemos e percebemos, em todo esse movimento.

6. A Roda da Vida

roda vida

Atualmente, se fala muito em coaching (atividade de desenvolvimento pessoal) e, uma das técnicas ou ferramentas comumente usada nessa prática é a Roda da Vida.

Geralmente, o coach (instrutor) se vale da “Roda da Vida“, para ajudar seu cliente (coachee).

No coaching de carreira e em empresas se utiliza a “Roda de Competências“.

Essas ferramentas ajudam o coachee à perceber as áreas de sua vida ou competências, em si, que necessitam de mais atenção.

Essa técnica contribui para o coach ter elementos importantes para auxiliar seu cliente, neste processo.

A Roda da Vida utilizada no coaching é um círculo dividido, em partes iguais, como uma pizza fatiada. Cada parte representa uma área da vida do coachee. O número de áreas varia, de acordo com o tipo de roda empregada no coaching.

Algumas rodas, utilizadas no coaching, dividem esse gráfico em 8 partes, 10, 12 ou mais.

A Roda da Vida contém as seguintes áreas da Vida: família, vida social, amor, espiritualidade, saúde, propósito, diversão, financeiro.

A aplicação da Roda da Vida no coaching ocorre com o cliente avaliando e atribuindo um valor percentual do seu nível de satisfação, em cada um das áreas.

Esse valor deverá constar em gráfico impresso, seja em folha ou pdf (computador).
O tamanho da área na roda (círculo) dependerá do nível de satisfação da pessoa.

Coach e coachee terão uma boa base, com esta representação visual, em diferentes aspectos da vida do coachee, para daí se obter uma avaliação do que precisa ser trabalhado.

A área com maior satisfação da roda, será elegida como alavanca e se, devidamente, trabalhada para aumentar o nível de satisfação trará melhorias e alavancará as outras áreas.

A Roda da Vida é uma forma de ampliar de possibilidades e aumentar de consciência de nossas potencialides.

Aliás, existem outras formas de utilizá-la.

Seguem, adiante, algumas dessas formas:

Sub-rodas - Na Roda da Vida, pode-se dividir a área dominante em aspectos específicos, para avaliar o nível de satisfação em cada um deles. Por exemplo, na área da família, a sub-roda pode ser dividida nas seguintes seções: filhos, pais, cônjuge, irmãos, etc.

Roda da Inspiração - Nessa roda pode-se colocar diversas atividades que trazem inspiração, motivação e entusiasmo, aquela que mais tiver um maior percentual de satisfação, pode ser definida como alavanca.

Roda das Forças - Esta roda conterá as principais forças ou habilidades do cliente, que representará no gráfico o quanto cada uma delas está deficiente ou pouco utilizada e qual é mais atuante nele.

Roda de Negócios ou Vendas - Nesta roda ocorre a representação dos pontos fortes de um negócio ou produto, para através da avaliação, se perceber os aspectos que devem ser trabalhados para alavancar o negócio ou melhorar o produto.

Roda do Estresse - Esta roda conterá o que gera mais estresse para o cliente com a finalidade de detectar, em percentuais, os fatores que mais contribuem para sua insatisfação, frustração e desgaste. A finalidade, disso, é trabalhar nas áreas que precisam ser melhoradas, para diminuir o estresse.

Roda de Conhecimentos - Nesta roda deverão ser colocadas as áreas que representam habilidades que o cliente carece ou que o ele gostaria de aprender. Dessa forma, fica mais fácil de pontuar o que se quer desenvolver, seja á nível profissional ou pessoal.

Roda dos Relacionamentos - Com esta roda pode se pontuar melhor o que se busca em um parceiro, seja no caso de estar em busca de um ou de já se ter um relacionamento com alguém. Esta roda serve para saber o que a pessoa prioriza para se relacionar com alguém e pode conter os seguintes aspectos: beleza física, comunicabilidade, paciência, bom humor, valores compatíveis, etc. 

Dessa forma, o cliente terá maior clareza do que é mais importante em um relacionamento afetivo com outra pessoa.

Roda de Projetos - A Roda dos Projetos ajuda o cliente a avaliar os aspectos que estejam mais alinhados com seus objetivos e valores e que representem seu projeto, seja à nível pessoal ou profissional.

7. A Vida é como uma Roda-Gigante

roda gigante

A Vida é uma roda gigante!

Nela vivemos a girar!
Ora estamos no alto, a vibrar! 
Ora embaixo, a observar.
A roda sobe, novamente, a nos impulsionar!
Tem momentos que ficamos no meio, estáveis a contemplar.
E a roda segue a se movimentar!
Nesse movimento contínuo, com a roda a girar, percebemos:

lugares 
seres
paisagens 
formas 
cores
sons
luzes
sombras, enfim, diversidade !

Dentro de nós, as emoções se movimentam com a roda:

nos alegramos
sentimos medo 
ficamos inseguros
nos encorajamos
nos aquietamos
apreciamos
ficamos felizes
nos entristecemos, e, seguimos com muitas oscilações, emoções e sentimentos.

A Roda de nossa Vida é

um eterno ir e vir 
nascer e morrer
crescer e envelhecer
movimento e pausa
sonhar e acordar
rir e chorar, e uma continuidade de estados, fases e mudanças.

Nossa Alma olha a roda a girar como uma criança a brincar, no sobe e desce observa, olha atenta e contempla tudo o que aparece.

Nosso SER segue movendo a roda e se movimentando nela, de forma paradoxal, na impermanência da existência e no Eterno Movimento da Vida!

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!