Festival das Águas de Alter do Chão: vamos preservar o maior aquífero do mundo

Festival das Águas de Alter do Chão

Entre os dias 11 e 15 de novembro vai ocorrer em Alter do Chão (PA), região leste da Amazônia, o Festival das Águas, com o objetivo de estimular o debate sobre o maior aquífero do mundo e a necessidade de sua preservação. Vários artistas e intelectuais estarão reunidos na cidade durante esse período para debater questões como saneamento básico e ações de educação.

Durante o dia, a programação contará com oficinas, mesas de debates, mostra de cinema, atividades esportivas que visam à integração de turistas, especialistas e os moradores da vila, já que a organização do evento vai disponibilizar transporte e hospedagem gratuitos para que as populações locais tenham condições de desfrutar do evento. À noite, haverá shows e festas para celebrar o encontro e valorizar a cultural local e seus artistas.

O objetivo do Festival das Águas é ampliar o debate ambiental e buscar soluções conjuntas para as seguintes questões: Aquífero de Alter do Chão, contaminação das águas, hidrelétricas na Amazônia, gestão hídrica, territórios e comunidades, memórias do Tapajós, pedagogia, criança e meio ambiente, direitos indígenas, autonomia indígena, mulheres na luta pela água, entre outras.

Por isso, é fundamental a participação das comunidades indígenas e ribeirinhas da região no Festival, que vai disponibilizar barcos nos rios Tapajós, Arapiuns e Maró para que todos possam participar. Mas, para que isso seja possível, a organização do evento busca parcerias com pessoas ou empresas interessadas em colaborar através de doações e compra de ingressos sociais. A renda arrecadada será usada não apenas no transporte, mas em toda a logística do evento, como alimentação e hospedagem. Uma outra forma de participar do Festival das Águas é através de um programa de voluntariado.

Confira aqui mais informações sobre o evento, como ajudar e participar. 

Preocupação com o meio ambiente

Durante o evento, copos plásticos e de vidro estarão proibidos. Os participantes ganharão uma cuia tradicional paraense. Além disso, haverá oficinas de reciclagem e coleta de lixo seletiva. 

Outra iniciativa bacana são os banheiros construídos com a técnica da permacultura, que será ensinada na oficina de saneamento bioecológico que acontecerá nas três semanas que antecedem o evento. 

Especialmente indicado para você:

O RIO TAPAJÓS ESTÁ MORRENDO

HIDRELÉTRICA DO TAPAJÓS: FINALMENTE, A LICENÇA AMBIENTAL FOI ARQUIVADA

UM BANHEIRO QUE NÃO UTILIZA ÁGUA