Orquestra de Vegetais: "comida é arte, você tem fome de quê?"

É verdade que quando usamos a criatividade, tudo que nos rodeia pode ser transformado, inovado, reformado, ganhando uma nova vida, um novo vislumbre! Nada escapa do poder da imaginação! Desde o lixo, ao luxo. A comida é uma dessas coisas, além de ser linda e saborosa, podemos deliciá-la de mais maneiras do que pensamos!

A “The Vegetable Orchestra”, ou, como chamada aqui “Orquestra de Vegetais” decidiu desvendar os sons dos vegetais, explorando os diferentes ruídos que cada um deles pode produzir, e fazer deles instrumentos musicais!!! Uma orquestra inteira, só com instrumentos de vegetais, cenoura, alho-poró, até casca de cebola e abóbora!

É claro que o som dos instrumentos vegetais não são o mesmo que dos instrumentos tradicionais, de madeira ou metal, o ruído deles é bem peculiar, alguns tem muita semelhança, enquanto outros chegam a ser difíceis de comparar com outro som. E é exatamente aí que reside a beleza dos instrumentos alternativos! Feitos de materiais inesperados que produzem sons inimagináveis!

Fundada em 1998 em Viena, a orquestra é formada por um grupo de 12 pessoas, que desde sua fundação exploram as possíveis formas de fazer os vegetais soarem, tendo um sentido para nossos ouvidos e não apenas para nosso paladar. A orquestra além de usar vegetais, usa também alguns utensílios, tais como ralador e liquidificador, além de um estranho à cozinha: um toca discos.

A Orquestra de Vegetais se apresenta no mundo inteiro! E para cada apresentação, uma nova compra é feita. Os vegetais têm que estar frescos para serem tocados. Muitas vezes, a orquestra opta por incluir vegetais das cidades visitadas em sua apresentação, trazendo assim, um pouco da cultura local de uma forma ou de outra, em sua apresentação.

Os instrumentos são produzidos na hora, ralados, cortados, perfurados com furadeira, alguns são descascados, outros têm ainda que ser montados, como, por exemplo, o "pepinofone", instrumento formado por um pepino perfurado com uma embocadura de cenoura e um pimentão oco na extremidade.

Não existem limites para a música ou para a comida! Esta orquestra conseguiu fazer com que estes dois universos lindos e distantes se unissem e vibrassem de formas novas e diferentes.

Muita comida e muita diversão! E no final, como os vegetais só podem ser usados uma vez, para fechar as apresentações da orquestra com chave de ouro, uma sopa é distribuída para os espectadores! Nada é desperdiçado! Nada se perde tudo se transforma! Além de ouvir uma música inédita, ainda termina a noite com uma sopinha reconfortante.

A orquestra que não se limita a um estilo musical explora desde o jazz até a música eletrônica, passando pelo pop e pelo contemporâneo, atualmente estão gravando o terceiro CD, “ONIONOISE” (Som da cebola), depois de tantas conquistas a apresentações.

Olha isso que fantástico:

Leia também:

ORQUESTRA DE RECICLADOS DE CAUTERA: COMO A MÚSICA DEU ESPERANÇA A TODA UMA COMUNIDADE

MORNING GLORYVILLE: ACORDAR E DANÇAR

Fonte foto: vegetableorchestra.org