Documentário brasileiro desmitifica as famílias homoafetivas

Vanessa e Marília, mães de três filhas e juntas há 13 anos, são as protagonistas do documentário nacional Em defesa da família. A Rádio Nacional de Brasília, da rede EBC rádios, conversou com o produtor e roteirista do filme, Getsêmani Silva.

A principal mensagem de Silva é que o problema do preconceito está em criar monstros que não existem. Segundo ele, o que se vê no filme é, simplesmente, uma família comum criando seus filhos e convivendo com o restante da sociedade. Há, como em todas as casas, a correria, os problemas, as atividades rotineiras de levar/buscar da escola, lavar roupa, etc.

Nada de extraordinário, apesar do que dizem os autointitulados “defensores da família”. Defensores da família que, como coloca Silva, não deveriam se colocar sob tal rótulo, o qual deveria ser dado, ao contrário, àqueles que estão genuinamente interessados em que todos tenham “segurança, cuidados e ambiente próprio para se desenvolver.”

Uma pesquisa do IBOPE de 2014 aponta que 40% dos entrevistados são a favor dos casais homoafetivos, 7% têm dúvidas e 53% são contra. Silva pontua que somando as pessoas a favor e as que estão em dúvida, praticamente metade da população está disposta a entender as novas configurações familiares, que representam nada mais do que uma nova forma de oferecer carinho e cuidado a crianças em busca de um lar.

É uma ideia que toda a sociedade terá que entender e aceitar!

A entrevista completa pode ser acessada neste link.

Leia também:

DUAS PESSOAS SE BEIJAM ATRÁS DE UMA TELA E O PÚBLICO VAI AO DELÍRIO. EMOCIONANTE!

PÁSSAROS GAYS É O SEGUNDO CASO JÁ REGISTRADO

IDENTIDADE DE GÊNERO: KUMU HINA, A LIÇÃO DO HAVAÍ

Fonte foto: radios.ebc.com.br