Fotografar a luta dos atingidos pelas barragens de Belo Monte e outras na região amazônica

barragens de Belo Monte e outras na região amazônica

A Kickante, uma plataforma de crowdfunding entre as mais criativas e populares do país, agora exibe um incrível projeto que une sustentabilidade à arte: trata-se do “Águas para a vida: uma reportagem fotográfica sobre os atingidos por barragens na Amazônia”.

O projeto criado pelo fotógrafo Joka Madruga, visa levar ao maior número de pessoas o acesso às imagens sobre a luta dos povos tradicionais que residem em áreas de barragens das usinas hidrelétricas de Belo Monte, Complexo Tapajós, Santo Antônio e Jirau, grandes projetos de infraestrutura – e intensamente polêmicos –, que estão localizados na região da Amazônia.

A importância da arte da fotografia nesse projeto é imensa, como instrumento de protesto e de jornalismo, que apresentará ao país todo, o que tem acontecido nessas regiões longínquas do centro econômico do país – e que, por isso, ficam ignoradas. Há um dramático exemplo em Belo Monte, onde há famílias que sequer serão cadastradas para transferência, já que a empresa responsável registrou 7.790 famílias, mas está construindo somente 4.100 habitações.

Além disso, o projeto trará as imagens como verdadeiras narrativas das injustiças praticadas contra esses brasileiros, que foram, são e serão desalojados por conta das obras, bem como todo o impacto ambiental das mesmas.

Madruga passará cerca de um mês fotografando na região. Sua carreira é permeada por trabalhos voltados para movimentos sociais e ONGs, bem como a agência Terra Livre Press, que também tem os mesmos princípios editoriais. O projeto já existe desde 2013, com fotografias feitas no estado do Pará, de barragens como Altamira e Itaituba. O trabalho lhe renderá uma exposição na ONU.

A viagem para o projeto Águas para a vida se dará entre 15 de fevereiro e 15 de março de 2015. Você pode contribuir com recursos para a iniciativa. Clique aqui para participar. As doações vão de R$ 20 a R$ 4 mil.

Fonte foto: kickante.com.br

Leia também: Belo Monte e o desrespeito aos povos indígenas