Viver

Como ter um currículo pronto para a área das Medicinas Alternativas?

Medicina Alternativa
  • por Redação GreenMe

A Medicina Alternativa, como o próprio nome diz, se refere a tratamentos alternativos à Medicina tradicional Ocidental. Entre estes tratamentos podemos citar acupuntura, florais e shiatsu. Se você gosta dessa área e pretende trabalhar com ela saiba que é preciso estudar, montar seu currículo online ou físico e se candidatar para as vagas.

Bebidas açucaradas aumentam o risco de morte prematura, especialmente em mulheres

Bebidas doces
  • por Eliane A Oliveira

O consumo frequente e a longo prazo de bebidas açucaradas, como bebidas "energéticas" ou sucos de frutas, está associado a um aumento do risco de morte prematura por doenças cardiovasculares e, embora em menor escala, ao câncer. E o risco diz respeito à todas as mulheres.

Entre os 10 melhores professores do mundo, uma é brasileira

Débora Garofalo
  • por Gisella Meneguelli

É lugar comum na fala dos brasileiros que a educação brasileira é muito ruim. Os políticos aproveitam esse descontentamento para prometerem “investimento em educação”. Essa promessa ampla, sem especificidade em programas, fica no mesmo lugar comum da reclamação daquela parte da sociedade brasileira.

Preconceito contra cães é tema do filme "A Caminho de Casa"

A Caminho de Casa
  • por Gisella Meneguelli

Não é de hoje que filmes sobre catioríneos – nome carinhoso dado aos cães em páginas de redes sociais – são sucesso de bilheteria. Lassie, Rin-Tin-Tin, K9: um policial bom pra cachorro, Marley e Eu... Enfim, como não se sensibilizar com esses bichinhos encantadores? Filmes sobre cães são um filão do cinema em e, dentro desse nicho, filmes que falam da separação entre eles e seus donos, fazem sempre sucesso. Dirigido por Charles Martin Smith, " A caminho de casa" é um desses filmes.

Personagem Momo volta a aparecer em vídeos infantis, causando medo nas crianças e nos pais

  • por Cíntia Ferreira

Crianças precisam de supervisão de adultos o tempo todo: para que não se machuquem, para que não briguem, para que não acessem conteúdos impróprios para a idade delas. Esse último receio tem crescido cada vez mais, graças ao crescimento – e facilidade – do uso da internet. Porém é preciso ter cuidado até mesmo com o conteúdo monitorado.