10 lugares para os viajantes por um mundo melhor

10 lugares para os viajantes por um mundo melhor

Ethical Traveler é uma ONG que publica anualmente uma lista de 10 países em desenvolvimento que, por suas boas práticas em direitos humanos, preservação do meio ambiente e promoção de bem-estar social, de acordo com os critérios da entidade, merecem ser recompensados com visitas de viajantes.

O site da entidade realça o poder dos viajantes, considerando que a indústria do turismo chegou recentemente ao posto de maior do mundo, passando a marca de um trilhão de dólares por ano.

Assim, a ONG defende que a escolha do destino para viagens levando em consideração esses valores éticos ajuda a mudar o mundo para melhor.

Confira a lista dos 10 destinos mais éticos, versão 2014, em ordem alfabética (não em ordem de mérito):

Bahamas

Barbados*

Cabo Verde*

Chile

Dominica

Ilhas Maurício*

Letônia*

Lituânia*

Palau*

Uruguai*

(* = também apareceram na lista de 2013)

A lista é editada a partir de uma pesquisa dos países em desenvolvimento, com foco em preservação ambiental, bem estar social e direitos humanos.

Dentro de cada uma dessas categorias, são consideradas as informações passadas e presentes em cada tema, e avaliado o progresso de cada país nesses temas, não necessariamente o estado em que o país se encontra em valores absolutos.

A entidade também destaca que não há nenhum país – especialmente dentre os países em desenvolvimento – que seja à prova de falhas, mas que a lista é uma forma de encorajar comportamentos vistos como contribuindo para um mundo mais seguro e sustentável.

Juntamente com a lista dos 10 países eleitos e mais algumas menções honrosas, a entidade divulgou os maiores avanços e retrocessos de cada país nas áreas avaliadas.

Dentre os países sul-americanos, Chile e Uruguai conseguiram entrar na lista, sendo os dois países com melhor índice de distribuição de renda, conforme dados do Banco Mundial. O Chile também se destacou em seus esforços de preservação ambiental, e o Uruguai na área de direitos humanos.

Outro ponto relevante da lista é o fato de que seis dos dez países são ilhas ou arquipélagos, o que indica que países mais ameaçados pelas mudanças climáticas tendem a estar mais comprometidos com a efetividade de suas políticas ambientais.

O documento também aponta desafios que os países deverão enfrentar caso desejem permanecer na lista. Conflitos com populações tradicionais (como, por exemplo, indígenas), desigualdades de gêneros, direitos dos homossexuais, bem estar de animais, corrupção e tratamento de minorias são as principais situações que a ONG indica como preocupante nesses países.

A entidade dá conta, ainda, de que nenhum país da Ásia ou da África continental conseguiu entrar para a lista de 2014 – sendo que Gana havia entrado na lista de 2013, porém teve pioras na área de direitos humanos, com violência crescente contra homossexuais.

Além dos dez países já mencionados, a ONG também sugeriu outros cinco destinos interessantes, uma espécie de menção honrosa: Cuba, Irã, Egito, Filipinas e Namíbia.

Fonte foto: Llaima, vulcão no Chile. papeldeparedegratis.net