Óleo de graviola: hidratante para pele, cabelos e outros benefícios. Confira!

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin

O óleo de graviola é pouco conhecido, mas não só ele como também o próprio fruto e as folhas possuem muitos benefícios para a saúde. Não é a toa que muitas tribos indígenas ainda fazem sua extração devido às suas propriedades curativas. Vamos aprender mais sobre esses benefícios? Mas antes, vamos saber mais sobre a graviola.

A graviola

O nome científico Annona muricata é dado à árvore da graviola que é de pequeno porte, originária das Antilhas e encontrada em quase todas as florestas tropicais, em especial na América do Sul, América Central, México, Cuba e Caribe. No Brasil ela é mais comum na Amazônia, onde é cultivada pelos indígenas que fazem sua extração para a produção de remédios naturais.

As folhas de sua árvore são verdes brilhantes e podem ser utilizadas em forma de chá para o tratamento de excesso de catarro, assim como fazem nos Andes, no Perú. As flores são amareladas, grandes e isoladas que nascem nos troncos e nos ramos.

O fruto tem sabor agridoce e delicado, parecido com o da abóbora. Alguns dizem que seu sabor é uma mistura de morango, abacaxi, côco e banana. O fruto possui forma ovalada com a casca verde-pálida e seu peso varia de 750g a 8kg.

As folhas e raízes estão sendo estudadas e analisadas para serem utilizadas no tratamento de diabetes. Das sementes é extraído o óleo de graviola prensado a frio, que possui propriedades bactericidas, adstringentes e sedativas. Por isso ele pode ser utilizado no tratamento de algumas doenças de pele, como por exemplo coceiras, psoríase e eczemas.

O óleo de graviola

Com aroma amendoado e levemente frutado, o óleo de graviola é rico em ácidos graxos insaturados, ácido oléico e linoléico, que são conhecidos por sua ação antioxidante e regenerativa. Ele é comercializado por algumas lojas de produtos naturais e pode ser usado tanto puro como óleo massageador, quanto misturado com outros óleos essenciais para que possa ser aplicado em todas as áreas do corpo.

Devido às propriedades antibacteriana e adstringente (antirrugas), bem como pela presença de polifenóis, flavonóides e saponinas, o óleo de graviola é indicado no tratamento de peles ressecadas e até no tratamento de psoríase, pois atua como um calmante, aliviando as coceiras e tratando eczemas e inflamações.

Nos cabelos, o óleo de graviola potencializa os efeitos da hidratação se usado junto às máscaras de tratamento ou pode substituir o leave-in na finalização de penteados. Ele forma uma película protetora ao redor dos fios que ajuda a evitar a perda de água, deixando os fios mais hidratados, sedosos e fáceis de pentear.

Propriedades curativas do óleo de graviola

O óleo de graviola é bastante pesquisado devido às suas propriedades curativas, principalmente no tratamento de diabetes. Um estudo realizado por alunos da Universidade Federal da Bahia (UFBA) apontou que, devido ao fato do tratamento com insulina ser caro e apresentar hipoglicemia como efeito colateral, a busca por alternativas naturais como anti-inflamatórios e imunomoduladores, tornou-se uma estratégia para o tratamento desta doença.

Os ácidos graxos presentes no óleo de graviola, interagem metabolicamente e diminuem os eventos imunológicos, controlando a homeostase glicêmica referente ao diabetes tipo 1. Esse estudo conclui que o óleo de graviola apresentou qualidade nutritiva, potencial antidiabético, potencial imunomodulador e anti-inflamatório.

Além das propriedades citadas anteriormente, a graviola também tem ação gastroprotetora, anticancerígena, hipoglicemiante e antidiabética, a qual já foi identificada nos extratos da folha de graviola. Porém, muito se questiona com relação à ação anticancerígena, pois nesse caso nenhum estudo comprovou essa informação.

Nossas conclusões

Alternativas naturais aliadas a tratamentos de doenças crônicas são muito bem vindas e merecem ser consideradas. Embora a quantidade de informações sobre o óleo de graviola seja limitada, pelo pouco que conseguimos extrair, pudemos perceber que o óleo de graviola pode ser utilizado com eficiência nos tratamentos de pele e cabelos, como um adendo nesses tratamentos cosméticos.

Já nos casos de doenças crônicas, é importante consultar um especialista para saber a opinião dele e, embora o estudo da Universidade Federal da Bahia tenha comprovado sua ação antidiabética, é necessário obter mais fontes que validem essa informação.

Por ora, vamos aproveitar o suco de graviola que, além de delicioso, também promove benefícios! Caso queira ter um exemplar em sua casa, veja como plantar graviola. Até a próxima!

Veja também:

GRAVIOLA: USOS, BENEFÍCIOS E CONTRAINDICAÇÕES

Condividi su Whatsapp Condividi su Linkedin
Formada em Administração de Empresas e apaixonada pela arte de escrever, criou o blog Metamorfose Ambulante e escreve para GreenMe desde 2018.
Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Siga no Instagram
Siga no Facebook