Dente-de-Leão - a coroa do sol - usos culinários e medicinais

Dente-de-leao

Dente-de-Leão é o nome comum de várias espécies do gênero Taraxacum das quais a mais disseminada é a Taraxacum officinale, nativa tanto do continente europeu quanto do asiático. Esta linda florzinha amarela veio para as Américas junto com os conquistadores e, por isso, na América do Norte, era conhecida dos nativos como “pegadas do homem branco” pois sua disseminação acompanhava as caravanas. É uma planta que se adapta facilmente a ambientes degradados e agrestes e, suas sementes permanecem viáveis por longos anos, razão pela qual a sua disseminação, atualmente, é cosmopolita. Em muitos lugares da terra, esse gênero é usado para alimentação, de gente e de gado e, sempre, para a cura. 

Usos do dente-de-leão

Apesar de ser considerada como erva daninha por jardineiros e proprietários de gramados, o dente-de-leão é uma planta com uso consagrado tanto na culinária quanto na medicina popular de muitos países. Seu conteúdo em vitaminas A e C, cálcio e ferro fazem do dente-de-leão uma erva competitiva com o espinafre e outras semelhantes.

  • * das suas flores é feito vinho
  • * das flores e limão também se faz um xarope, que se mistura com agrião e alcachofra, e se usa como fortificante
  • * das folhas e os brotos se comem em saladas frescas
  • * as folhas e talos também podem ser refogadas ou cozidas
  • * das raízes, depois de cozidas e moídas, pode ser feito um substituto do café

Uso medicinal do dente-de-leão

Na medicina popular e na fitoterapia é consagrado seu uso como tônico hepático, diurético e depurativo do sangue, antiescorbútico, antiácido e laxante. Sua ingestão facilita a digestão e estimula o apetite. Pode ser usado em casos de obstipação. Como o seu uso aumenta a produção de bílis, também é adequado para problemas de fígado e vesícula biliar. A raiz do dente-de-leão é indicada para reumatismos e, na forma de óleo para massagem, nos casos de artrite. Dizem que o seu chá ajuda muito nas dietas de emagrecimento, se tomado 3 vezes por dia.

Mas, estudos muito interessantes realizados no Canadá (Departamento de Química e Bioquímica da Universidade de Windsor) até pouco tempo atrás, apontam o dente-de-leão como um possível remédio para o câncer.

Segundo a notícia, o extrato da raiz do dente-de-leão, aplicada a células cancerosas, leva essas células ao processo de apoptose, que é a sua autodestruição.

Esta pesquisa foi feita pela Dra. Caroline Hamm e, através dela foi encontrada uma das únicas soluções para ajudar aqueles que sofrem de leucemia mielomonocitica crônica (LMMC). Este tipo de leucemia começa nas células formadoras do sangue na medula óssea a partir de onde envolve todo o sangue.

A matéria que reproduzimos conta que alguns pacientes de LMMC conseguiram sua cura pelo uso do chá da raiz de dente-de-leão mas, esse fato ainda não está consagrado pela medicina ocidental oficial. E a pesquisa também não está consagrada pois, como se pode pensar, não é de grande interesse para a indústria farmacêutica.

Receita para fazer o chá de raiz de dente-de-leão

Tome 2 colheres (sopa) de raiz (pode usar a planta inteira também) e cozinhe em 1 litro de água até ferver. Quando ferver, desligue o fogo e abafe por 10 minutos. Depois disso basta coar o chá e tomar. O recomendado é até 3 xícaras ao dia.

Leia também: 

seta

AÇAFRÃO-DA-TERRA PODE SUBSTITUIR VÁRIOS MEDICAMENTOS

seta

BELDROEGA, UMA PLANTINHA DE NADA QUE VALE DE TUDO

seta

ARRUDA, UMA PLANTA DE MUITOS USOS E TRADIÇÕES

Fontes de referência: Universidade de Windsor e Natural News http://www.cbc.ca/news/canada/windsor/dandelion-tea-touted-as-possible-cancer-killer-1.1129321