Ailanto, a árvore-do-céu. A planta que põe em risco o ambiente

  • atualizado: 
ailanto

O ailanto é uma espécie exótica invasiva capaz de colonizar áreas naturais inteiras que ameaçam a biodiversidade. Vamos ver quais são as características do ailanto, porque é uma praga e como o seu desenvolvimento pode ser controlado para preservar o território.

1. Ailanto: características da planta

O ailanto (Ailanthus altissima), também chamado de árvore-do-céu, é uma espécie exótica que pertence à família das Simaroubaceae.

O ailanto foi inicialmente importado para a Europa da Ásia para criar a Philosamia cynthia, uma mariposa. Posteriormente, foi utilizado como planta ornamental pelo seu rápido crescimento e rusticidade. O ailanto é de fato muito adaptável a vários climas e solos, tolera a falta de água e nutrientes por períodos prolongados e se desenvolve rapidamente.

O ailanto pode se reproduzir por sementes a longas distâncias: o fruto do ailanto é uma sâmara, uma fruta seca com uma asa, que pode ser transportada pela água ou pelo vento. Uma planta de ailanto pode produzir até 300 mil sâmaras a cada ano, com considerável dispersão de uma grande quantidade de sementes.

Além da semente, o ailanto também se propaga por meios vegetativos por meio do aparato radical extenso e vigoroso que pode se estender até quinze metros de distância da planta mãe, gerando novas plantas. As novas plantas que se originam da semente ou das raízes crescem muito rapidamente.

O sistema radicular do cantor secreta substâncias químicas que impedem a germinação e o desenvolvimento de outras espécies.

2. Invasividade e controle do ailanto

Tais características do ailanto permitiram que esta planta se expandisse cada vez mais e hoje em nosso país o ailanto é difundido em todas as regiões onde forma populações em diferentes habitats tanto nas planícies como nas montanhas e montanhas baixas, adaptando-se a diferentes condições climáticas e ameaçando a flora nativa.

A invasão do ailanto não ocorre apenas no Brasil: a European and Mediterranean Pant Protection Protection incluiu-a entre as espécies invasoras que precisam do controle humano.

O controle do ailanto é no entanto particularmente complicado porque, como vimos, é uma planta resistente capaz de se espalhar rapidamente. Além disso, a eliminação de amostras é difícil e nem sempre bem-sucedida. Quando as árvores são cortadas cortando o tronco na base, elas são capazes de desenvolver novos brotos a partir das raízes.

Os métodos químicos para o controle do ailanto seriam eficazes, mas apresentam inúmeras desvantagens, incluindo a poluição de áreas protegidas. A única solução definitiva, portanto, parece ser a erradicação das plantas com remoção das raízes, um método muito complicado de implementar.

3. O impacto do ailanto na biodiversidade

ailanto 2

O ailanto é uma planta muito competitiva, uma vez que é uma espécie resistente e que apresenta alguns requisitos. Graças às suas características, é capaz de colonizar grandes áreas, reduzindo e impedindo o crescimento de espécies nativas.

Com o tempo, as espécies mais resistentes substituem as demais: populações de plantas mono especiais são formadas com consequente perda de biodiversidade.

O ambiente natural muda radicalmente, alterando equilíbrios que envolvem não só a paisagem, mas também as características do solo, a fauna e a presença de insetos polinizadores. Após a colonização por uma única espécie de planta, é possível alcançar a extinção de outras espécies de plantas e animais presentes nesse habitat.

O controle de espécies de ervas daninhas, como o ailanto, é necessário para proteger a paisagem e a biodiversidade que envolve a flora e a fauna da área.

4. Desenvolvimento do ailanto e o dano ambiental

Quando uma espécie de planta toma conta de outras, há sempre um impacto negativo no meio ambiente e na biodiversidade, mas as conseqüências também afetam os aspectos econômicos e de saúde do território.

A importação de espécies exóticas, como o ailanto, pode ser, por exemplo, um veículo para patologias como alergias, que causam asma e dermatite. Em áreas protegidas ou naturais, a invasividade do ailanto levou a uma modificação do equilíbrio ecológico, enquanto nas áreas urbanas, onde tem sido usado como planta ornamental, também causou danos a edifícios e plantas causados ​​pelo desenvolvimento radical da planta.

Em todo o território em geral, o desenvolvimento descontrolado do ailanto resultou em danos estéticos, perda de biodiversidade e poluição florística.

Talvez te interesse ler também:

10 MANEIRAS DE ELIMINAR AS ERVAS DANINHAS

COMO "LER" AS ERVAS DANINHAS PARA ENTENDER A SAÚDE DO SOLO

COMO FAZER ADUBO VEGANO E TER COMPOSTAGEM ORGÂNICA E CASEIRA, HORTA E POMAR

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!