Guerrilla Gardening em Berlim: capital da horta para todos

Guerrilla Gardening em Berlim

Berlim é uma cidade realmente surpreendente. Talvez por ter sofrido com as agruras das grandes guerras mundiais, e também uma unificação tão tardia – o muro foi derrubado em 1989, apenas – parece que a vida, para os berlinenses, sempre encontra um caminho de florescer.

Para se ter uma ideia, o mais novo must da cidade - para cultivar vínculos entre as pessoas e ainda expandir a possibilidade de alimentação saudável – são as hortas comunitárias!

Até mesmo em um antigo aeroporto, desativado em 2008, e atualmente um parque da capital alemã, é um lugar perfeito para se cultivar tomates, batatas, e outros vegetais. Até mesmo um apiário foi construído no local, e foi produzido o primeiro mel, originário do aeroporto de Tempelhof!

À noite, esse espaço vira uma festa, um point de reunião de amigos e animados bate-papos.

E não é apenas em grandes áreas que vemos se expandir esse conceito: até mesmo em telhados há espaços propícios para que se façam novos cultivos! Para se ter uma ideia, em Wedding, um bairro da cidade, um grupo de pessoas deseja plantar morango e cenoura, bem no telhado de um supermercado!

As pessoas se animam, porque há a ideia do “comunitário”, ou seja, todos participam ativamente do processo das hortas. O grupo de pessoas que fica responsável por uma área de cultivo, paga 5.000 euros – ou 15 mil reais – anuais para a prefeitura, a fim de ter direito sobre a exploração daquele espaço.

Para plantar: criatividade

fonte foto: berlin.de

As pessoas não têm autorização para utilizar o solo do antigo aeroporto, então, usam caixas de madeira, baldes e até sapatos velhos e mochilas! Tudo para ter a sua muda florescendo no lugar!

Guerrilla gardening

fonte foto: ndr.de

É um movimento de jardinagem política que consiste em plantar em terrenos nos quais os "jardineiros" não tenham direito legal para utilização. Frequentemente se desenvolve em locais abandonados e como “efeito colateral”, as pessoas começam a se envolverem cada vez mais e a interagirem entre si, geram a sociabilização, o senso e o cuidado do bem comum.

Inclusive, o movimento que teve início em Nova York é hoje algo mundialmente conhecido e praticado. Muitos países têm suas hortas comunitárias, mas não só isso: o guerrilla gardening também serve para enfeitar, para dar verde às cidades, para tampar buracos, para desativar lixões, ou seja, é uma intervenção popular através da jardinagem para onde o Estado não chega ou não quer chegar.

E assim, as cidades vão ficando cada vez mais verdes...incrível, não é mesmo?

Outras intervenções urbanas que estimulam o cuidado e o senso de bem comum podem ser vistos nos links abaixo, clique sobre eles para ler:

Jim Bachor: o artista que tapa os buracos das ruas de Chicago fazendo mosaicos

Urban X Stitch: grafite em ponto cruz, as últimas tendências do Guerilla Knitting

Moss Graffiti: 3 métodos para criar o grafite com musgo

Guerrilha tricô para combater o crime

Fonte foto capa: ueber-land.eu