Um Avião Solar na Floresta Amazônica

Atlantik Solar, um veículo aéreo não tripulado movido a energia solar e desenvolvido por pesquisadores do Instituto Federal Suíço de Tecnologia, no último dia 24 realizou o primeiro voo fora da Europa, no estado do Pará.

Mas antes de sobrevoar a floresta amazônica, o Atlantik Solar teve a missão de verificar a área atingida pelo naufrágio do navio Haidar, ocorrido no dia 6 de outubro na cidade de Barcarena. 5 mil bois vivos estavam a bordo do navio, além da carga de quase 740 toneladas de óleo no porto de Vila do Conde.

O projeto visa contribuir com o mapeamento do desastre na região, segundo a coordenadora do projeto, Mayra Castro.

Detalhes do Atlantik Solar

O Atlantik Solar foi desenvolvido por estudantes de engenharia do Instituto Federal de Tecnologia de Zurique (ETH Zurich). O avião já quebrou recordes mundiais e agora chegou aqui para realizar um voo de 400 quilômetros em 12 horas para testar seus limites de resistência de painéis solares. Atlantik terá uma série de câmeras e sensores atmosféricos.

Em relação ao recorde, trata-se de um marco alcançado pelo avião que se tornou o avião mais resistente com menos de 50 quilos quando efetuou um voo continuo com baterias carregadas com energia solar por 81.5 horas (mais de quatro dias e três noites) em Zurique. Este também foi o voo mais longo continuo de um avião de baixa altitude e baixa resistência, além do terceiro voo mais longo realizado por um avião a base de energia solar.

De forma geral, foi o quinto voo mais longo de todos os tempos. Tanto em veículo tripulado, quanto em um não tripulado.

O Atlantik Solar na Amazônia

Após o voo de mapeamento do local do desastre, o avião sobrevoou a cidade de Melgaço, no Pará, na Floresta Nacional de Caxiuanã, e um voo de nove horas, percorrendo cerca de 330 quilômetros.

Lá, o avião serviu para verificar a autonomia e a resistência da aeronave em condições climáticas diferentes das encontradas na Europa.

A decolagem já deveria ter ocorrido, no último dia 22, mas foi adiado, por conta de ajustes técnicos, e ficou para sábado último às 6 horas da manhã, na praia do Caripi, em Barcarena.

Segundo a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica do Pará, a parceria com o projeto Atlantik Solar contribui para a difusão de experiências bem-sucedidas no uso de energias renováveis, e também como meio de promover os desenvolvimentos econômico e social do estado.

Leia também:

SOLAR IMPULSE 2: TUDO PRONTO PARA A VOLTA AO MUNDO NO AVIÃO SEM COMBUSTÍVEL

SORA-E: PRIMEIRO AVIÃO ELÉTRICO DA AMÉRICA LATINA

Fonte foto: atlantiksolar