Mais ciclistas, menos acidentes nas ruas

Mais ciclistas, menos acidentes

Em geral, o senso comum aponta que quanto mais ciclistas nas ruas, dentro de perímetros urbanos, além de atrapalhar o trânsito automotivo, ampliam a possibilidade de ocorrer acidentes. Mas um estudo norte-americano tem tudo para quebrar esse mito, de uma vez por todas.

Em pesquisa na University of Colorado, em Denver, expôs o fato de que um número crescente de bicicletas nas ruas e estradas diminui não só as colisões, mas inúmeros outros tipos de acidentes. Com isso, o tráfego só fica mais seguro, e menos vidas são perdidas.

As bicicletas e a Função de Performance de Segurança

Foram elaboradas funções de performance de segurança para bicicletas (SPF), na cidade de Boulder, que conta com 12% da população, locomovendo-se de bicicletas – o maior índice do país.

Tais funções têm a responsabilidade de modelar a relação matemática, considerando a frequência dos acidentes, relacionada aos principais fatores das ocorrências – é curioso notar que já são diversas as SPF para automóveis, mas nenhum exclusivo de bikes.

Com base nisso, os estudiosos estudaram todo tipo de acidente em cruzamentos por todo o município, com foco em locais, onde a média de acidente fosse, no mínimo 2/3 do total. Verificou-se, de forma surpreendente que, quanto mais ciclistas nesses locais, havia menos colisões e vice-versa.

Hipóteses do estudo sobre as bicicletas

Uma hipótese interessante da pesquisa é a de que o comportamento do motorista parece mudar ao avistar uma bicicleta, tornando-se mais cuidadoso com o espaço a seu redor.

Por outro lado, uma outra hipótese sugere que ciclistas naturalmente se dirigem a locais mais seguros.

Como sugestão, após as conclusões, os autores apontam dever existir um aumento de ciclovias e alargamento de pistas, para acomodar melhor as bicicletas. Tais cuidados ampliariam a sensação de segurança para ciclistas, motoristas e até pedestres.