Rio Jundiaí
Rio Jundiaí

O exemplo do Rio Jundiaí: depois de 34 anos, despoluído, volta à vida!

Um rio poluído é um rio morto e para evitar que o Rio Jundiaí, no interior de São Paulo, fosse a óbito, o Comitê de Estudos e Recuperação do Rio Jundiaí (Cerju) deu início, há 34 anos, à despoluição desse rio.

O resultado disso foi que em 2017, o Rio Jundiaí começou a dar sinais de recuperação e vida com o aparecimento de peixes, principalmente o Bagre, conhecido como Jundiá. 

As ações do Cerju foi de fundamental importância para a despoluição desse rio e envolveram a construção de emissários, redes coletoras e Estações de Tratamento de Esgoto, que contribuíram para a coleta e o tratamento de esgotos domésticos e industriais, que antes eram jogados no rio.  

Para garantir a crescente revitalização desse rio, Martim Ribeiro, o diretor de Manancias da DAE-Jundiaí, afirmou que a fiscalização tem sido prioridade para manutenção da qualidade da água desse rio. 

Um dos órgãos que realiza a fiscalização e controle da qualidade da água do Rio Jundiaí é a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo-CETESB.

Outra entidade que tem atuado para manter o rio Jundiaí despoluído é a Companhia Saneamento de Jundiaí(CSJ), implementando ações e projetos para que esgoto da cidade não chegue a esse rio. 

Além disso, o CSJ realiza análises mensais com amostra da água do rio para análises química e toxicológica, mensuração do nível de oxigênio e, além disso, faz o monitoramento do esgoto tratado na Estação de Tratamento de Esgoto de Jundiaí (ETEJ).

Veja neste vídeo da TVTEC-Jundiaí como foi e está sendo este trabalho de despoluição do rio Jundiaí, e como a vida tem voltado às suas águas. 

Com a despoluição do rio Jundiaí, outros seres vivos voltaram a frequentar a região onde se localiza este afluente, atraídos por sua água e pelos peixes que lhes servem como alimentos e, assim, é possível ver garças e várias outras aves trazendo mais vida e biodiversidade à essa área fluvial.

Outro grande benefício da despoluição do rio Jundiaí é que por ser afluente do rio Tietê (deságua), por tabela contribui para a despoluição desse grande rio que atravessa o estado de São Paulo.

Essa notícia boa renova a esperança e motiva o poder público a empreender mais ações como essa, lembrando que não basta despoluir um rio e continuar poluindo outro que seja seu afluente, assim como o problema tampouco se acaba se só os órgãos públicos tratarem do rio, mas a população continuar descartando produtos tóxicos e lixo em áreas próximas ao mesmo.

Para ter resultados efetivos e duradouros é preciso ver o macro, pois um rio é um curso d’água que está inserido em uma bacia hidrográfica, sendo assim, cada município, indústria e cidadão precisa contribuir para manter os rios de sua região limpos e preservados, afinal água de rio não fica parada!

Talvez te interesse ler também:

BACIAS DE ABASTECIMENTO PÚBLICO CONTAMINADAS: AS CONSEQUÊNCIAS DO USO INTENSIVO DE AGROTÓXICO NA AGRICULTURA

BRASIL, UM PAÍS DE CELULAR NA MÃO, MAS SANEAMENTO BÁSICO QUE É BOM…

AGUAPÉ: A PLANTA BRASILEIRA QUE PODE DESPOLUIR RIOS EM TODO O MUNDO

Fonte foto

Sobre Deise Aur

Avatar
Professora, alfabetizadora, formada em História pela Universidade Santa Cecília, tem o blog A Vida nos fala e escreve para GreenMe desde 2017.

Veja Também

immagine

Pantanal devastado pelas chamas. Animais pedem SOCORRO. Como ajudar

Um dos mais importantes biomas do mundo, santuário de uma extraordinária biodiversidade, está sendo dizimado …