Água distribuída no Rio de Janeiro está turva e com gosto de terra

Água distribuída no Rio de Janeiro está turva e com gosto de terra

Há cerca de uma semana, os moradores do Rio de Janeiro têm recebido em suas casas água com cor turva e com sabor de terra.

Pelas redes sociais, os habitantes da cidade começaram a manifestar o problema e a sua indignação. Os mais atingidos pela distribuição da água turva são os moradores da Zona Norte carioca. Os relatos de pessoas que passaram mal após ingerirem a água têm sido comuns.

O número de atendimentos na Secretaria Estadual de Saúde decorrentes de diarreia, gastroenterite e vômitos dobraram na última semana em postos de saúde da Zona Oeste. Apesar desse fato, o órgão diz que ainda não é possível associá-lo com a água turva, supostamente contaminada, como informou o Jornal do Brasil.

De acordo com Companhia de Águas e Esgotos do Estado (Cedae), foi encontrada uma substância anormal em amostras de água: a geosmina. Essa substância, de origem orgânica, aparece quando algas e bactérias se multiplicam na água.

A Cedae garante que a geosmina não causa risco à saúde humana. Em nota, o órgão de abastecimento informou que:

“O fenômeno natural e raro de aumento de algas em mananciais, em função de variações de temperatura, luminosidade e índice pluviométrico, causa o aumento da presença deste composto orgânico, levando a água a apresentar ‘gosto e cheiro de terra'”.

Apesar do comunicado, a própria Cedae modificou a forma de tratamento da água. Está sendo usado, agora, em caráter permanente, carvão ativado pulverizado no início do processo de tratamento, com o objetivo de reter a geosmina, um método usado em outros estados, como São Paulo, Bahia e Rio Grande do Sul.

O especialista em microbiologia de água e alimentos, Marco Miguel, que é professor do Instituto de Microbiologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), explica que o aumento de algas e bactérias na água distribuída pode conter compostos nocivos à saúde. Já outros especialistas, segundo o JB, consideram que ainda é precoce liberar o consumo para o município, visto que a geosmina pode provocar alterações no gosto e no odor da água, mas não a cor “barrenta”, conforme relatado em alguns locais – um indício de que sua qualidade pode estar comprometida.

Entretanto, a Cedae avaliou 150 amostras de água coletadas na última semana e não identificou qualquer substância química que pudesse provocar dano à saúde da população. Dá pra acreditar?

Evitar o consumo

A maioria das famílias não pode evitar o consumo da água da torneira. E nem seria justo, dado que o tratamento da água é pagado pelo consumidor. Que situação!

https://www.youtube.com/watch?v=aa0YIm4pT64

https://www.youtube.com/watch?v=zwwWuNhR7pI

Talvez te interesse ler também:

Filtro de Barro: economia e menos lixo plástico. Mas será que funciona?

Você está ingerindo microplástico a cada vez que abre e fecha sua garrafinha de água

Mwalua, o homem que diariamente leva água para saciar a sede dos animais do Quênia

Fonte foto

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *