Justiça do Ceará veta a liberação de 63 agrotóxicos por entender que causam danos para a saúde

Justiça do Ceará veta a liberação de 63 agrotóxicos por entender que causam danos para a saúde

2019 bateu recordes de liberação de agrotóxicos: 382 novos pesticidas. Muitas dessas substâncias são proibidas na União Europeia e diversos estudos as relacionam a doenças e danos ambientais graves, como o extermínio de insetos polinizadores, sem os quais todo o ecossistema fica comprometido. Em sintonia com os constantes alertas das autoridades de saúde e estudos ambientais, a Justiça Federal do Ceará suspendeu 63 deles, entre os que haviam sido liberados em setembro.

Em seu despacho, o juiz responsável pela ação, Luís Praxedes Vieira da Silva, afirmou que a livre comercialização de agrotóxicos danosos à saúde humana era “incompatível com os princípios que regem a atividade econômica”.

“De nada adiante um país economicamente rico com uma população gradativamente doente, o que será desencadeado dentro em breve se não combatermos hoje a prática inclusiva de tais agentes químicos e biológicos nocivos ao nosso meio ambiente”, argumentou Vieira da Silva.

A decisão responde à Ação Popular movida pelo deputado federal Célio Studart, do Partido Verde do Ceará. O governo terá 15 dias para recorrer. Segundo informações do G1, o Ministério do Meio Ambiente afirmou que ainda não recebeu a notificação.

Talvez te interesse ler também:

ZERO VENENO: FLORIANÓPOLIS SERÁ A PRIMEIRA ZONA LIVRE DE AGROTÓXICOS DO BRASIL

AGROTÓXICO NATURAL: ÓLEO DE EUCALIPTO COMBATE FUNGOS EM PLANTAS

ESTE ESTADO MEXICANO APROVOU POR UNANIMIDADE UMA LEI PARA PROTEGER AS ABELHAS: MULTAS DE ATÉ 8.000 PESOS

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on tumblr
Share on reddit
Share on pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *