Comunidades indígenas brasileiras estão entre os ganhadores do prêmio da ONU

O Prêmio Equatorial 2015 teve entre seus vencedores, duas etnias indígenas brasileiras, os Kayapó, com o Instituto Raoni, que protegeu 2,5 milhões de hectares de floresta e os Munduruku, com o Movimento Ipereg Ayu, que bloqueou a construção de uma represa que iria submergir seus territórios. Os detalhes podem ser vistos no site da Iniciativa Equatorial 2015.

O Equator Prize acontece a cada 2 anos e é uma iniciativa da “Equator Initiative” ligada ao PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, que congrega as Nações Unidas, governos, sociedade civil, empresas e organizações de base na promoção e reconhecimento das boas práticas locais de desenvolvimento sustentável para as pessoas, a natureza e as comunidades resilientes. A “Equator Initiative” busca reconhecer o êxito das iniciativas locais e indígenas; criar oportunidades e plataformas para o compartilhamento de conhecimentos e boas práticas; fazer gestões políticas suficientes para a promoção de um ambiente favorável para a ação da comunidade local e indígena, e; desenvolver a capacidade das iniciativas locais e indígenas para expandir o seu impacto.

O objetivo maior do prêmio é incentivar, por meio da premiação em dinheiro, as iniciativas cidadãs que contribuam para a redução da pobreza, a proteção do meio ambiente e a contenção dos efeitos da mudança climática.

São pontos básicos a serem considerados nos projetos apresentados:

· conservar melhor a diversidade biológica;

· usar os recursos naturais de forma sustentável;

· melhorar a transmissão de conhecimento;

· melhorar as oportunidades econômicas para os meios de vida sustentáveis.

Em função do apelo global realizado pelos organizadores, neste ano participaram 1.461 projetos de 126 países e foram escolhidas 21 iniciativas como vencedoras do certame.

Cada um dos ganhadores receberá US$ 10 mil e que poderão enviar representantes a uma reunião comunitária que será realizada durante a cúpula sobre mudança climática de Paris em dezembro.

Na América Latina foram vencedores este ano os seguintes países: Colômbia, Bolivia, Brasil, Belize e Honduras.

"Os ganhadores deste prêmio são um pequeno grupo de projetos e iniciativas inspiradoras ao redor do mundo. São um pequeno exemplo da grande quantidade de iniciativas que estão dando certo", disse em entrevista coletiva o responsável de Mudança Climática das Nações Unidas, Christiana Figueres.

Leia também: UM FILME SOBRE AUTODEMARCAÇÃO DE TERRAS, FEITO POR GUERREIRAS INDÍGENAS

Fonte foto: equatorinitiative.org