Atlas Solarimétrico orientará instalação de painéis fotovoltaicos no Rio de Janeiro

Atlas Solarimétrico orientará instalação de painéis fotovoltaicos

O Rio de Janeiro tem imenso potencial na geração de energia pelo uso de painéis fotovoltaicos e, seu uso será orientado pelo Atlas Solarimétrico, elaborado pelo programa do governo do estado, Rio Capital da Energia, em parceria com o Grupo Electricité de France (EDF)-Norte Fluminense, a PUC-Rio e a empresa EGPE Consult. Atualmente o atlas está na fase de editoração dos dados e sua publicação completa deverá ser lançada no ínício de 2016.

O projeto pretende oferecer diretrizes tanto para usinas de grande porte quanto para o consumidor residencial e, segundo afirma a coordenadora do Rio Capital da Energia, Maria Paula Martins:

“Queremos uma geração de energia cada vez mais sustentável no estado do Rio. Essa é uma forma de fornecer para a sociedade dados que vislumbrem como instalar um painel desses e [esclarecer] que tipo de economia e benefícios se tem com esse tipo de energia”.

O projeto espera que o uso desta ferramenta atraia investidores que se interessem em subsidiar, no todo ou em parte, a instalação dos painéis fotovoltaicos, os quais são orçados atualmente entre R$ 8 mil e R$ 12 mil, a unidade, o que pode se tornar de interesse até para as empresas geradoras de energia elétrica para a rede pública já que, o fornecimento de energia de origem solar, a longo prazo, se torna compensador, mesmo para a entrega ao consumidor final.

Segundo os dados já analisados, são as regiões do norte fluminense, parte da Região dos Lagos o litoral sul do estado é que são as áreas de maior insolação e, portanto, que possuem maior potencial produtivo de energia solar. “Sabemos que do extremo norte [do litoral] do estado até Arraial do Cabo é onde há maior possibilidade de ganho, a partir da geração fotovoltaica. Por outro lado, a Região Serrana é a que tem menor potencial”, destacou Maria Paula Martins. O atlas deverá ser periodicamente atualizado e disponibilizado no Portal Rio Capital da Energia.

São 3 as estações coletoras de dados que subsidiam o Atlas Solarimétrico e estão situadas em Duque de Caxias, Macaé e Resende

De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), atualmente operam no Rio de Janeiro 33 plantas de energia solar fotovoltaica com capacidade instalada que atinge os 555 quilowats (kW) e, em todo o Brasil, operam 317 usinas fotovoltaicas, atingindo um total de potência instalada de 15.179 kW.

Segundo afirma Maria Paula Martins, o Rio de Janeiro, sozinho, já tem mais potencial do que a Alemanha, país que lidera a expansão de energia solar fotovoltaica no mundo.

Se o RJ, como estado fotovoltaico, puder se bastar sozinho, então o Brasil, como um todo, também poderá.

Leia também: Muse School: a escola vegana alimentada por cinco girassóis fotovoltaicos

Fonte foto: cresesb.cepel.br