Confessionário Urbano: um projeto que escuta ajudando no combate à solidão

voluntários de plantão

Você já imaginou estar numa estação de metrô e ter disponível um conselheiro ou apenas uma pessoa disposta a escutar você? Esse tipo de "terapia" existe e está acontecendo em vários lugares públicos na cidade de Los Angeles (EUA).

Quem vive numa grande cidade sabe que, embora ela ofereça muitos prazeres, também apresenta muitas dificuldades para os seus habitantes. Uma delas é a solidão. Para diminuir a sensação de estar só, um grupo de voluntários está atuando nas ruas de Los Angeles carregando placas que oferecem uma ajuda simples: ouvidos de graça.

O projeto, conhecido como Confessionário Urbano, argumenta que a necessidade de as pessoas serem ouvidas não é atendida de maneira significativa na correria do mundo moderno. O criador da iniciativa, Benjamin Mathes, acredita que nem todo mundo precisa recorrer a um padre ou pastor ou psicólogo para ser ouvido. “Você não precisa ser nada além de você. Ao fazer isso, tiramos muitas berreiras da conexão humana”, conta.

O Confessionário Urbano começou em 2012, quando Benjamin estava passando por um divórcio e buscava uma forma de recomeçar a vida dedicando-se a algum projeto. Um dia, ao passar por um morador em situação de rua que pedia dinheiro, ele parou para conversar com o homem e se deu conta de que a atenção é fundamental para a sobrevivência humana.

A resposta de Mathes sobre a razão do projeto é, aparentemente, simples: “Por você”. O projeto busca desburocratizar a escuta. As pessoas são ouvidas sem julgamento. Nesses quatro anos, ele já ouviu desde uma adolescente que celebrava 75 dias sem cortar os pulsos até um homem a caminho de se entregar à polícia.

O projeto deu tão certo que cresceu. Hoje, o confessionário está presente em Barcelona, Lima, Peru, Sidney, Tóquio e Nova York, entre outras cidades.

Aqui no Brasil estão faltando voluntários para o projeto emplacar. Quem quiser ser voluntário precisa, somente, ler as instruções básicas, que você encontra aqui!

Leia também:

AS 5 FERIDAS EMOCIONAIS QUE NOS IMPEDEM DE VIVER SERENAMENTE

ESTUDANTES QUE PRECISAM DE CASA ONDE MORAR, IDOSOS QUE PRECISAM DE CONVERSA E CARINHO

Fonte: thegreenestpost