As misteriosas sequoias albinas que sobrevivem sem clorofila, ajudadas por árvores vizinhas

sequoias albinas

De acordo com a lei da natureza, as sequoias albinas (albino redwood) não poderiam existir dada a sua falta de clorofila, o pigmento verde que permite que as plantas sobrevivam graças à magia da fotossíntese.

No entanto, na Califórnia, existem sequoias albinas, renomeadas sequoias fantasma dada a sua característica de se mimetizar com o ambiente circundante,  e muitos pesquisadores, há tempos, vêm estudando esta espécie. Agora o biólogo Zane Moore, da University of California parece ter encontrado uma possível explicação para a sua sobrevivência.

Em geral, na ciência, as sequoias são consideradas "complicadas”. Elas estão entre as mais altas da terra e têm uma longevidade de mais de 2.500 anos, têm seis cromossomos em vez de dois e ninguém, até agora, conseguiu estudar exatamente seu genoma.

sequoia 2

Foto: Kevin Bertolero / Flickr / CC BY 2.0

Dizem que suas raízes se comunicam e que, durante os períodos de escassez, elas podem compartilhar umas com as outras, os nutrientes que necessitam para sobreviver. Mas, na verdade, no verão, cada uma delas continuam a viver sozinhas, então como é possível que as sequoias albinas não morram?

De acordo com Moore, essas árvores são mais inteligentes do que pensamos.

"Descobrimos que essas árvores gostam de crescer onde as condições do solo são menos saudáveis, e acreditamos que são exatamente estas características que as fazem prosperar. Ao analisar as suas folhas brancas, percebemos que elas são um coquetel mortal de cádmio, cobre e níquel", diz Moore.

sequoia 3


Foto: Coast Redwood / Flickr / CC BY 2.0

Na prática, as folhas brancas continham duas vezes mais a quantidade destes metais.

"Parece que as árvores albinas consigam sugar estes metais pesados ​​do solo. Praticamente se envenenam e sobrevivem."

Com base nesta hipótese, Moore teorizou que a cor destas árvores não seja devido a parasitas, mas sim ao fato destas atuarem como reservatórios, contendo todas as substâncias nocivas, também das árvores vizinhas, em troca de nutrientes para sobreviverem.

Se esta teoria for confirmada, as sequoias albinas poderiam ser plantadas em áreas poluídas, contribuindo assim para a sobrevivência de outras espécies.

Foto capa: CC BY 2.0 Cole Shatto / Redwood Coast

Especialmente indicado para você:

AS ÁRVORES SE COMUNICAM ENTRE SI E RECONHECEM OS SEUS SIMILARES

NO EQUADOR AS ÁRVORES CAMINHAM E MUDAM DE LUGAR 20 METROS POR ANO

O BORDADO NAS COPAS DAS ÁRVORES DA MALÁSIA: IMAGENS ESPETACULARES