Morte de mamãe ursa causa revolta na Itália

Morte de mamãe ursa

Daniza, como foi nomeada uma mamãe ursa, que em agosto tinha agredido um recolhedor de cogumelos comestíveis em defesa dos próprios filhos, morreu durante sua mal sucedida captura.

De acordo com as autoridades da província de Trento, envolvidas na captura de Daniza, a ursa não sobreviveu à anestesia aplicada para sedá-la. O Corpo Florestal da Itália irá investigar a causa da morte. A entidade aguarda os resultados dos exames de autópsia.

Daniza era uma mãe ursa transferida em 2000 da Eslovênia para as florestas de Trento, através do projeto Vida Ursus.

Em meados de agosto, enquanto caminhava na floresta com seus filhotes, de repente se deu de cara com um recolhedor de cogumelos comestíveis. Sua reação foi aquela que teria tido qualquer mãe para defender seus filhotes. Ele tentou assustar o intruso e mantê-lo afastado, ferindo-o ligeiramente. Mas o que era um gesto natural feito para defender seus filhotes, foi considerado pela Província de Trento um episódio grave o suficiente para emitir uma ordem para a sua captura e remoção.

A mãe ursa não queria causar graves danos ao homem (na verdade, seus ferimentos foram muito leves), mas apenas assustá-lo e mantê-lo longe de seu território. Se ela quisesse realmente queria matá-lo, com certeza poderia fazê-lo sem grandes dificuldades.

O animal, que há mais de um mês vinha conseguindo escapar da captura, não sobreviveu à anestesia realizada na noite em que a encontraram para prendê-la e levá-la para detrás de grades, pois tinha sido considerada perigosa, muito embora 65.000 mil assinaturas foram recolhidas para que o animal continuasse em liberdade.

Prender Daniza é matar a liberdade

Não matem os ursos. Salvemos Daniza. Assine a petição

É um capítulo vergonhoso da história para a proteção da biodiversidade na Itália, escreveu greenMe Itália.

Leia também: Momento fofura: família ursa unida atravessa um riacho