Governo brasileiro confirma o desmatamento crescente na Amazônia

  • atualizado: 

desmatamento crescente na Amazônia

Infelizmente, as notícias que nos chegam da Amazônia continuam não sendo as melhores. Houve um desmatamento maior em 2013, com uma elevação de 29% do total de devastação. Esse novo dado foi publicado pelo governo ontem, confirmando o quadro de retrocesso na área ambiental, em tendência contrária do que vinha sendo observado desde 2009.

Uma Brasília de desmatamento

Segundo um mapa feito por satélite, ficou demonstrado que a área desmatada equivale à extensão do Distrito Federal, ou seja, 5. 891 quilômetros quadrados.

Pará é o campeão em desmatamento

Dentre as áreas devastadas, entre agosto de 2012 e julho de 2013, a maior fica no território do Pará, com algo superior a 2 mil km²; espaço maior que o de seis campos de futebol juntos.

Mesmo com esse quadro, o próprio Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) revelou que essa foi a segunda menor taxa de desmatamento da história, no estado – queda de cerca de 80%.

Mato Grosso é o segundo em desmatamento. Não por coincidência, são dois estados onde tem ocorrido a mais forte expansão agrícola do país, com novas áreas de plantio sendo geradas a todo momento.

Mudanças urgentes são necessárias

O combate ao desmatamento amazônico é essencial, entre todas as razões possíveis, também pelo fato de que as queimadas são responsáveis, em nível mundial, por 15% de todas as emissões de efeito estufa, por ano. Isso é mais que todo o setor de transportes,em conjunto.

A Amazônia ainda contribui para absorção de carbono e é um poço de biodiversidade.

Leia também: Aumenta a degradação em áreas de proteção ambiental do país

Fonte foto: greenpeace.org