Aumento do nível d'água no Rio Solimões preocupa região

Solimões

Os municípios próximos ao Rio Solimões estão em estado de alerta.

Isso porque, segundo o Centro de Monitoramento Ambiental da Defesa Civil do Amazonas, o rio subiu 31cm além da cota de alerta, que é de 11 metros e 80 centímetros. Nesta nesta semana, o Solimões atingiu 12 metros e 11 centímetros.

Embora a cota ainda não configure estado de emergência, que é quando o rio atinge 12 metros e 85 centímetros, os municípios da região já começaram os preparativos para uma possível aumento de água.

O secretário da Defesa Civil do Amazonas, Coronel Fernando Pires Júnior, disse que se estima que a calha do Rio Solimões transborde no prazo de três semanas, devido ao grande volume de chuvas na região.

“Nessas situações, que ainda não há emergência, mas que já apresenta situação de alerta, a primeira resposta é sempre do município. Mas a Defesa Civil do Estado se antecipa e solicita o plano de contingência, que deve conter informações como o possível número de famílias afetadas e as ações que serão implementadas caso ocorra o desastre", afirma o coronel.

A Defesa Civil do Amazonas está fazendo o monitoramento das chvuvas e do rio, mas prevê que cerca de duas mil famílias, em 50 comunidades, sejam atingidas na área rural de Benjamin Constant, cidade onde já foram construídas 13 passarelas.

O alerta emitido pelo órgão é direcionado aos municípios de Tabatinga, Benjamin Constant, Santo Antônio do Içá, Tonantins, São Paulo de Olivença e Atalaia do Norte.

Outro problema atinge o rio Amazonas: a situação de emergência em municípios na região do Alto Rio Negro por causa da chuva abaixo da média.

Várias cidades da região enfrentam um rigoroso período de estiagem que já afeta quase 50 mil pessoas.

Leia também:

seta ENCHENTE: CHEIA HISTÓRICA NO RIO ACRE 

seta CHEGA DE HIDRELÉTICAS: O DRAMA DE TAPAJÓS

Fonte foto: g1