Contaminação ambiental é a causa da doença do sono no Cazaquistão

Quando uma mina de urânio, com estrutura de madeira, é fechada e suas galerias são inundadas, o que será que acontece depois de alguns anos? Acontece um problema, grave, perigoso.

A história

Kalachi, uma pequena aldeia no Cazaquistão. Uma doença do sono que afeta seus habitantes. Parece conto de terror, mas é realidade. Realidade e pesadelo.

Para os 582 habitantes de Kalachi foram anos seguidos de dormirem em qualquer lugar, como uma doença que acometia a alguns, poucos, muitos.

Os primeiros casos começaram em 2010 e se aumentaram de intensidade a partir de 2013. 120 moradores foram afetados pelo sono de vários dias que começava em qualquer horário. Um homem adormeceu guiando sua motocicleta e só acordou 9 dias depois, Algumas crianças, 6, dormiram em setembro de 2014.

O sono chegava repentinamente, de forma irresistível. E dormiam, dormiam, até acordarem naturalmente dias depois.

Os habitantes de Kalachi até chegaram a pensar que eram amaldiçoados. Desconfiavam do céu, do ar, da água e até da vodca que bebiam pois não havia explicação para tanto sono, tão prolongado, tão repentino.

Os médicos examinavam, faziam análises clínicas nas pessoas, no sangue, na composição da água, do solo, do ar, e também não encontravam o motivo que causasse o sono aterrador. Sim, aterrador porque, para além de inexplicável, também vinha com tonturas e alucinações.

Foram 5 anos de incertezas, de desconhecimento.

Agora dizem que o mistério foi desvendado.

Apontam como causa provável uma combinação de monóxido de carbono (CO) com partículas de hidrocarburetos (CH) existentes na atmosfera que, em determinadas condições atmosféricas, faz com ocorra falta de oxigênio (O) e excesso de monóxido de carbono (CO), produzindo os desmaios e outros sintomas. Pelo menos assim crêem os especialistas russos, e o governo já começou a deslocar os habitantes de Kalachi para outras aldeias da região.

A explicação

Sergey Lukashenko, diretor do Centro Nuclear do Cazaquistão e um dos cientistas responsáveis pela investigação do problema, afirmou que “a origem dessa contaminação está em Krasnogorsk, um vilarejo fantasma perto de Kalachi e que abriga uma grande mina de urânio”. A mina foi fechada há anos e suas galerias inundadas com água. Como explica Lukaschenko: “o urânio não tem nada a ver com isso. Usaram um monte de estruturas de madeira quando a mina estava em funcionamento. Depois a mina foi fechada e se encheu de água, e quando a madeira entra em contato com a água se produz monóxido de carbono”, que pouco a pouco, se infiltra até a superfície gerando o problema.

Mas, que problema é esse?

Contaminação ambiental resultante de uma má aplicação técnica no encerramento da mina.

O ser humano criou uma sociedade que usa bens materiais de forma extensa. A tecnologia evolui, os cuidados ambientais devem evoluir também. Temos de estar atentos para não dormirmos, literalmente, no ponto e comprometermos nossa Terra e nossa vida de forma irremediável.

Leia também:

Fonte foto: ibtimes.co.in