Mais veneno na mesa: 2019 já soma 382 novas aprovações

  • atualizado: 
agrotóxico

Mais 57 agrotóxicos receberam carta branca do Ministério da Agricultura na última quinta-feira (3). Assim, 2019 mantêm-se como o ano em que mais se liberou defensivos agrícolas desde o início da série histórica, em 2005.

O governo atribui a maior velocidade na liberação de agrotóxicos às medidas de desburocratização dos registros, adotadas desde 2015. De acordo com informações publicadas no G1, o Ministério afirma que se trata de aprovar novas moléculas, menos tóxicas e mais favoráveis para o meio ambiente, considerando que, segundo as regras vigentes, novos registros somente são permitidos quando se referem a itens de risco menor ou equivalente à saúde.

Na lista das novas liberações, constam 10 biológicos, para uso na agricultura orgânica, 6 novos e 41 genéricos. O objetivo da liberação destes últimos, ainda segundo o governo, é aumentar a concorrência no mercado, o que resultaria em uma redução dos custos de produção.

Essa festa de liberação de agrotóxicos tem provocado reações entre cientistas e órgãos ligados à saúde e ao meio ambiente, considerando os diversos males para a saúde relacionados à ingestão de agrotóxicos, havendo a suspeita de que sejam a causa por trás de casos de câncer e malformação no Mato Grosso.

Ao que parece, nessa contabilidade, em meios aos cálculos de redução de custos de produção e aumento dos lucros, o valor da vida parece ter um peso bem menor.

Talvez te interesse ler também:

 

AGROTÓXICO NATURAL: ÓLEO DE EUCALIPTO COMBATE FUNGOS EM PLANTAS

PRODUÇÃO DE ARROZ TAMBÉM INFLUENCIA NO AQUECIMENTO GLOBAL: VIVENDO E APRENDENDO

O COLETOR DE LIXO CRIADO POR BOYAN SLAT REALMENTE FUNCIONA E ESTÁ CAPTURANDO TONELADAS DE PLÁSTICO NO PACÍFICO

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!