Aumento de CO2 na atmosfera pode reduzir quantidade de proteína nos alimentos

Aumento de CO2 na atmosfera pode reduzir quantidade de proteína nos alimentos

Que o aumento da concentração de CO2 na atmosfera acelera as mudanças climáticas nós já sabíamos, a novidade é que ele também afeta a qualidade nutricional dos alimentos.

Segundo um estudo publicado neste domingo (6) na revista especializada Nature Climate Change o aumento dos níveis de dióxido de carbono inibe nas plantas a transformação de nitrato em proteínas.

O estudo foi feito a partir da análise de amostras de trigo colhidas entre 1996 e 1997, neste período foi liberado ar enriquecido com CO2 sobre os campos de pesquisa em diversas concentrações, de acordo com o nível de aumento esperado para as próximas décadas. As amostras colhidas passaram por uma sequência de preparativos que possibilitou que fossem guardadas por mais de uma década. Quando então, surgiram novos métodos de análise química que possibilitaram o experimento.

Estudos anteriores já haviam demonstrado a relação entre o CO2 e a queda da assimilação de nitrato nas folhas de grãos e espécies não leguminosas, porém essa relação ainda não havia sido comprovada nos campos. Esse processo denominado assimilação do nitrogênio desempenha um papel fundamental para o crescimento das plantas, sendo um processo especialmente importante já que o nitrogênio é utilizado para produzir proteínas essenciais para a nutrição humana. Com o recente estudo os pesquisadores verificaram que três diferentes níveis de assimilação de nitrato confirmaram que a concentração elevada de dióxido de carbono inibiu a conversão deste elemento em proteína.

Os níveis dos gases do efeito estufa não param de subir, desde 1975 – época pré industrial- até agora a concentração global de dióxido de carbono aumentou 141% o que causa preocupação. De acordo com os cientistas, a quantidade total de proteínas disponíveis para consumo humano vai sofrer uma queda de 3% à medida que os níveis de CO2 atingirem os aumentos previstos para as próximas décadas.

O aumento da concentração de nitrogênio em adubos poderia compensar parcialmente essa queda na qualidade dos alimentos, mas isso também apresentaria consequências negativas como a elevação dos custos, aumento da concentração dessa substância nas águas subterrâneas e também nos gases de efeito estufa.

Fonte foto: Stock.Xchng