AVC - Reconhecer os primeiros sinais e o encaminhamento rápido salva vidas

avc-sinais-sintomas

Em caso de acidente vascular cerebral a prevenção é fundamental para evitar sequelas e danos ao cérebro. O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma das principais causas de mortalidade e sequelas no Brasil, e a identificação precoce dos sintomas é determinante para evitar danos ao cérebro.

É possível a reversão da maior parte dos danos resultantes de um AVC se o doente é tratado a até, no máximo, 3 horas após o seu acometimento. Lesões cerebrais são danos que ocasionam a morte de parte do tecido cerebral e perda de funções.

Por isso é importante que todos conheçam os sintomas de início de um AVC. Só esse conhecimento é que poderá facilitar o atendimento em tempo hábil para que o paciente tenha maiores chances de uma vida de qualidade após o fato.

Em se verificando a ocorrência de sintomas, chame prontamente o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) pelo telefone 192 ou, se puder, leve o paciente direto ao hospital mais próximo, sem esperar a ambulância. O tempo de atendimento é o que poderá salvar a vida ou evitar sequelas graves ao paciente.

Sinais e sintomas de AVC

 

Como aparecem os sintomas de AVC?

Subitamente, sempre e de um só lado do corpo

Alguns dos sintomas primários de AVC em estágio inicial, segundo o Ministério da Saúde, são:

1. Alteração da força muscular ou formigamento, principalmente dos braços, pernas ou de um lado do corpo.
2. Assimetria facial
3. Dificuldade na fala
4. Movimentação da língua
5. Dor de cabeça súbita e intensa sem causa aparente
6. Perda da visão de um olho ou dos dois
7. Vertigem súbita intensa e desequilíbrio associado a náuseas ou vômitos
(os últimos sinais ocorrem, com mais frequência, nos casos de AVC hemorrágico)

Os sinais e sintomas do AVC se iniciam de forma súbita e podem ser únicos ou combinados, de acordo com a lista do Hospital Albert Einstein  são:

1. Enfraquecimento, adormecimento ou paralisação da face, braço ou perna de um lado do corpo.
2. Alteração de visão: turvação ou perda da visão, especialmente de um olho; episódio de visão dupla; sensação de "sombra" sobre a linha da visão.
3. Dificuldade para falar ou entender o que os outros estão falando, mesmo que sejam as frases mais simples.
4. Tontura sem causa definida, desequilíbrio, falta de coordenação no andar ou queda súbita, geralmente acompanhada pelos sintomas acima descritos.
5. Dores de cabeça fortes e persistentes.
6. Dificuldade para engolir.

Teste rápido para avaliar um caso de AVC

 
Dica importante: Avalie rapidamente a resposta motora do paciente, se desconfiar de um AVC, com o seguinte teste: “peça para a pessoa levantar os braços, sorrir, repetir uma frase e colocar a língua para fora e para os lados. Caso a pessoa apresente dificuldades nestas tarefas, ela deve ser levada imediatamente a um hospital”.
 
 

 

Mesmo que o sintoma pare, corra para o hospital - o AVC é sutil mas mata!

Os sintomas descritos podem ocorrer em um episódio de curta duração. Mesmo assim, procure o atendimento médico de emergência e encaminhe o paciente pois, como conta o Dr. Eli Evaristo médico neurologista no Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo e no Hospital Osvaldo Cruz  o AVC pode já estar ocorrendo, de forma sutil mas inexorável. “Portanto, se alguém apresentar súbitas alterações motoras, de comunicação ou comportamento, é fundamental providenciar sua remoção para o hospital com a maior rapidez possível.

Quem está por perto pensa, muitas vezes, que pode ajudar se forem adotados certos procedimentos, como dar remédio para a hipertensão arterial, amoníaco para cheirar, ou fazer o paciente deitar-se por alguns minutos. Nenhuma dessas providências é recomendada, assim como não se deve oferecer nada para a pessoa beber naquela hora. Ela pode estar com dificuldade para engolir, pode vomitar e aspirar o conteúdo gástrico, o que irá agravar mais ainda a situação. Nessas ocasiões. é sempre melhor procurar um serviço médico de emergência para atendimento imediato do paciente”.

O que é o AVC

O AVC, que é sempre decorrência de uma alteração na circulação sanguínea do cérebro, pode ser de dois tipos: isquêmico ou hemorrágico. O isquêmico, que é o mais comum, ocorre quando há obstrução de uma ou mais artérias, geralmente em pessoas de mais idade, que sofrem de diabetes, hipertensão arterial ou colesterol elevado. O hemorrágico ocorre quando há ruptura de uma artéria, e este tipo é o mais grave pois haverá derramamento de sangue na caixa craniana, hemorragia, o que causa danos mais sérios ao cérebro. O AVC hemorrágico não escolhe idade podendo ocorrer com jovens também.

Alguns outros serviços médicos indicam também, como fatores de possível AVC: confusão mental, crise convulsiva e coma (que já caracterizam um caso de maior gravidade). Leia mais no site da MDSaúde

Prevenção do AVC

Segundo o MS o “AVC representa a primeira causa de morte e incapacidade no Brasil, gerando grande impacto econômico e social”. Este tipo de acidente decorre de alguns fatores de risco preexistente como hipertensão arterial, diabetes mellitus, doenças cardíacas, enxaqueca, uso de anticoncepcionais hormonais, ingestão de bebidas alcoólica, uso de fumo, sedentarismo e obesidade. Então, está dentro das possibilidade de prevenção o controle de hipertensão, taxa de colesterol e diabetes assim como uma mudança positiva em seus hábitos de vida. Mas, existem também fatores como a idade, a raça, a constituição genética e o sexo, e esses não se podem modificar.

Leia também:

"LUVA INTELIGENTE" AJUDA VÍTIMAS DE AVC

AVC: UM SIMPLES TESTE DE EQUILÍBRIO PARA AVALIAR O RISCO

CHOCOLATE PARA REDUZIR O RISCO DE ATAQUES CARDÍACOS E DERRAMES

INFARTO: 20 SINTOMAS QUE NÃO DEVEMOS IGNORAR

ATAQUE CARDÍACO: UM EXAME DE SANGUE PARA SABER SE ESTÁ EM RISCO

Fonte: Ministério da Saúde