Pele vegetal feita de cacto e algodão: adeus ao couro animal

  • atualizado: 
lineapelle

O cacto é a planta símbolo do México. Está presente na vida das pessoas de forma material e simbólica. Então, por que não dar mais uma utilidade a essa planta que tem tantos usos no país norte-americano?

Foi exatamente isso o que pensaram os jovens inovadores Adrián López e Marte Cázarez, ao inventarem a Lineapelle, a primeira pele orgânica feita com cacto.

Como informa o site Vegnutri, o tecido, que não tem nada de origem animal, é produzido a partir de uma mistura do cacto e do algodão. O material tem resistência, haja vista que sua durabilidade é de até 10 anos, e pode ser usado para múltiplas finalidades: móveis, roupas, indústria automotiva, estofados, etc.

O couro animal é, ainda, largamente utilizado pela indústria, como a da moda e de mobiliário. Contrário a esse negócio, os jovens mexicanos procuraram criar um tecido que não causasse dano aos animais usando uma matéria-prima barata, abundante e que fomentasse a economia local.

A dupla, que queria fazer um tecido ecológico, levou dois anos para chegar ao Lineapelle. Eles contaram ao jornal El Heraldo de México que a ideia surgiu a partir da análise das inúmeras propriedades do cacto, que é usado na indústria cosmética para a fabricação de xampus e cremes. Os jovens associaram que se a planta faz bem para a pele por que não poderia dar vida a uma?

lineapelle grafico

A inovação mexicana, no começo, não teve muito crédito. López e Cazárez contam que os engenheiros que trabalharam no projeto disseram, inicialmente, que ele seria impossível de ser realizado. Ao que eles responderam:

“Como não? Estamos no México, somos mexicanos. Que matéria-prima existe para explodir?”.

De fato, o cacto, que é uma matéria-prima característica do México, tem um cultivo simples, por ser econômico e não exigir muito cuidado. A planta cresce sozinha em regiões áridas, sem precisar de muita irrigação.

Após vários testes, a equipe conseguiu obter um material resistente.

“Um vestido, uma bolsa, uma fita, uma pulseira de relógio, carteira, uma poltrona. Qualquer pele pode ser substituída por pele orgânica. A pele animal ou sintética pode ser substituída por orgânica. Essa é a ideia: apoiar o ecossistema”, entusiasmam-se os parceiros.

Além dos benefícios econômicos e ambientais, a invenção dá uma importante contribuição social, já que os agricultores mexicanos podem ter mais trabalho e renda.

“Dá mais significado ao que fazemos. Não é apenas para a moda e o meio ambiente. Fazemos isso para apoiar indiretamente o campo, também gerando trabalho”, explicam os mexicanos.

Inovação, criatividade e responsabilidade são aspectos que fazem toda a diferença para os modelos de negócio contemporâneos, cujo ciclo produtivo deveria respeitar o meio ambiente, os animais e as pessoas envolvidas nele.

Talvez te interesse ler também:

MODA VEGANA: VESTUÁRIO SUSTENTÁVEL, SEM EXPLORAÇÃO E CRUELTY-FREE

ORANGE FIBER: COM O QUE SOBROU DA LARANJA, UM TECIDO SUSTENTÁVEL, QUE PERFUMA A PELE

A MODA DESCARTÁVEL ESTÁ ENCHENDO O PLANETA DE LIXO TÊXTIL: JOGAMOS 811% MAIS ROUPAS DO QUE EM 1960

Fonte fotos

siga brasile pinterest

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

siga brasile instagram

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!