Conheça as substâncias tóxicas por trás dos cosméticos

substâncias tóxicas por trás dos cosméticos

Você sabe qual o nível de segurança dos produtos de beleza e higiene pessoal que aplica na pele em seu dia a dia? Com uma série de benefícios declarados pela indústria, alguns são considerados itens de primeira necessidade na vida moderna, mas por que sua composição levanta tamanha polêmica?

Batons: toxicidade que levamos aos lábios

Em geral, a alegação da indústria é que os elementos tóxicos estão em pequenas concentrações e, mesmo assim, são apenas aplicados superficialmente, em pele e cabelos. Embora essa alegação já seja polêmica, uma vez que o que usamos sobre a superfície de nosso corpo seja, de fato, absorvido, há um item – utilizado sobretudo por mulheres – que é ingerido: trata-se dos batons e outros elementos aplicados nos lábios.

Segundo levantamentos, como os batons são reaplicados, em média, 20 vezes por dia, calculou-se, ao fim de cada ano, qual a média de consumo de batons e chegou-se à conclusão de que podem ser ingeridos, ao final do período de 365 dias, 2 batons inteiros - no acumulado de um ano, são ingeridos 3,5 g de produto! Nesse caso, mesmo que haja componentes tóxicos em pequenas quantidades, já não se trata de algo tão inofensivo assim, concorda?

Preocupação com a composição do batom

Uma das preocupações manifestadas por pesquisadores da FDA – Food and Drug Administration – agência reguladora de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos encontraram chumbo em boa concentração em 400 amostras diferentes de batons de grandes marcas.

O limite imposto pela FDA para o uso de chumbo é da ordem de 20 ppm – partes por milhão. Encarada como permissiva, essa decisão do FDA entra em conflito com outros estudos que não estabelecem nenhum patamar seguro para o contato do corpo humano com o elemento chumbo. Vale apontar que na Europa, segundo legislação, houve banimento total do uso de chumbo em produtos cosméticos.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA – permite apenas o composto acetato de chumbo, em tinturas para cabelo; mesmo assim, em 0,6% ppm e até três ppm de arsênio e uma ppm de mercúrio.

Entre os malefícios do cromo no organismo estão: agitação, nascimento prematuro, Alzheimer, agressão, perda de concentração, déficit de QI, demência, depressão, hiperatividade, redução das capacidades cognitivas desregulação do ciclo menstrual, Parkinson, entre outros.

E o chumbo é apenas a ponta do iceberg...

Além de chumbo também se verificam outros elementos tóxicos na composição de batons, tais como crômio – ou cromo –, alumínio, cádmio, cobre, manganês, cobalto e titânio. Em batons, protetores solares, hidratantes e lápis para olhos.

Achou alarmante? Infelizmente, você ainda não viu nada. Um vídeo norte-americano explica, de forma leve e bem-humorada, como a indústria de cosméticos faz uso de substâncias tóxicas em seus produtos e as razões para tal – sim, há razões para que a indústria o faça. Veja o vídeo com legendas em português, clicando no botão legendas.

Fonte foto: freeimages.com