Café: 10 diversos modos de saboreá-lo no mundo todo

  • atualizado: 
café

O café é a bebida mais consumida no mundo, depois da água, é claro. Café se consome em, praticamente, qualquer lugar, a qualquer hora do dia.

Tem quem beba café para acordar de manhã e quem tome café durante o dia, no lanche da tarde, após o almoço e até antes, ou depois, do jantar. Café é uma bebida de socialização, apesar da cafeína, que induz ao relaxamento e a momentos de despreocupação.

Todos os dias são consumidas 1,6 bilhões de xícaras de café, é impressionante! Na Europa, por exemplo, você poderia pensar que o país onde mais se toma café seja a Itália mas, não, é na Finlândia, com um consumo de 12 kg por pessoa, ao ano, tanto quanto a média brasileira urbana.

Uma breve história do café

A planta, Coffea arábica, é nativa da Etiópia e, não se sabe ao certo quando foi descoberta ou domesticada. Enfim, o café está no consumo humano a mais tempo do que a história lembrada mas, é provável que essa história tenha começado antes do século VI pois, nesta época já havia referências ao seu uso e cultivo no Iêmen.

Diz a lenda que, a origem (da descoberta e uso) do café se deve a um rebanho de cabras que, ao provarem das frutinhas vermelhas do arbusto, ficavam mais dispostas para o sobe-desce das montanhas etíopes, saltando e cabriolando com muito mais ânimo. Esse fato chamou a atenção do pastor que resolveu experimentar a tal frutinha, e gostou. Pode ser verdadeira a lenda mas, não explica a expansão deste grão e seu uso, pelo mundo todo, com certeza.

Através do comércio, o café logo alcançou a outra margem do Mar Vermelho, no Iêmen e, a partir daí, se espalhou para toda a península árabe. E, a partir do final do século XVI o café já atingia todo o mundo islâmico, incluindo o Norte da África, Pérsia e Turquia, tornando-se um importante produto de exportação em todo o Império Otomano. Na Europa, o café entrou a partir do Império Austro-húngaro, ao final do século XVII. Parece que os turcos, ao abandonarem Viena, deixaram na cidade uma série de sacos de grãos de café que foram confundidos com “comida para camelos”. Em 1683 aparece a primeira cafeteria europeia, o “Fiasco Blu”, na Itália fazendo uso dos grãos turcos abandonados e, para comemorar o fim do império otomano, servia bolos em forma de lua crescente, os croissants.

Métodos diferentes de se fazer um simples café

Na Itália o café é sinônimo de expresso, em todas as suas variantes - café de máquina, feito sob pressão a uma temperatura alta, com leite ou sem, com espuma ou sem, puro e forte, até com lasca de limão. Isso é um expresso italiano.

Falamos da Itália pois o café italiano é supremo e, um dos primeiros a ter fama, na Europa toda.

Mas, o café muda de jeito em cada país onde é feito - pode ser bebido frio ou quente, durante o ano todo, com leite, creme ou licores mas, a principal diferença está na moagem e grau de tostagem e, claro, no método de extração da essência, na temperatura da água, no tipo de coador, e por aí vai.

Os diferentes métodos de extração dão diferentes potencialidades aromáticas e de sabor. O método italiano, expresso, por alta pressão, é rápido e permite a destilação integral, dizem eles, dos diferentes sabores da mistura, aumentando o aroma e reduzindo o teor de cafeína. Dizem eles pois, para nós, brasileiros, o café mais aromático continua sendo aquele feito no coador, devagarinho.

Outras maneiras de se fazer são a francesa, por pressão descendente de um êmbolo e o sistema turco, de decocção do pó.

Café, como é preparado no mundo

cafe expresso

1. Áustria

Como vimos, na Europa o café foi introduzido pelos austríacos, através do contato com os turcos. A partir dos anos 700 foram os austríacos a manter o cetro de mestres de café, e também foram os primeiros a criarem cafeterias, lugares específicos para saborear esta bebida aromática.

Com a invenção da máquina de espresso por Luigi Bezzera, no entanto, as coisas mudaram rapidamente. Estamos no início de 1900, em 1901, para ser exato. Desde então, o café austríaco experimentou um declínio implacável em favor do italiano.

Hoje, em nenhum lugar na Áustria você consegue beber um café preto com uma nuvem de leite ou creme. Uma versão interessante é o fio de mescla, antepassado do cappuccino, que é queimado superficialmente com um isqueiro, uma tostadura leve da espuma de leite. A mistura Wiener prevê a adição de creme e, às vezes, até mesmo de uma gema de ovo.

2. França

O café francês é preparado em uma máquina especial equipada com um êmbolo de pressão. Com esse método pode-se obter uma bebida mais intensa e rica em cafeína. A vantagem desta máquina de café é a capacidade de ajustar a força do café preparado, variando a quantidade de café em relação à de água.

Uma vez que você serviu o café e água quente na parte inferior do recipiente especial, cubra com a tampa e espere 3 ou 4 minutos. Após esse tempo, vá apertando, devagarinho, o êmbolo para permitir que o pó de café assente no fundo e o líquido passe pela peneira superior. O café assim obtido está pronto para ser degustado.

café 2

3. Irlanda

Famoso em todo o mundo, o irish coffee é preparado com café, açúcar mascavo, chantilly e whisky irlandês. Esta é uma receita bastante recente, inventada por um bartender do Aeroporto Shannon em 1942. O bartender criativo teve a ideia de oferecer esta bebida para aquecer os viajantes de um avião da Pan Am cujo voo foi adiado devido ao mau tempo.

4. Escandinávia

Na Noruega e outros países escandinavos, o café é preparado de forma bastante bizarra, para nós, mas muito gostoso, ao que parece: primeiro se moem os grãos de café, mistura-se com um ovo inteiro e se bate. Depois, se junta mais água quente e logo, põe-se tudo na panela de água fervente, mexendo sempre para aglutinar. Coa-se e bebe-se. Estranho, né?

5. Turquia

O café turco se espalhou por todo o Oriente Médio. O pó deve ser moído muito fino. Ferve-se a água com açúcar, junta-se o pó e, cardamomo. Deixa-se ferver um minuto. Deixa-se o pó assentar no fundo e se serve com cuidado para não ir resíduo para a xícara. Este é um café rico em cafeína e muito aromático. As borras de café são usadas na previsão do futuro, uma arte adivinhatória turca.

6. Estados Unidos

O café dos americanos do norte é um café aguado (a receita diz que é preciso diluir um expresso no dobro de água que normalmente se usa), coado em coador ou filtro de papelão.

7. México

No México, o Café de Olla é preparado em uma panela de barro (olla), e aromatizado com canela. Deve-se derramar a água no barro, junto com o pau de canela e açúcar de cana ou piloncillo (açúcar marrom muito escuro feito a partir do melaço). Deixar ferver e despejar o pó de café, mexer e desligar o fogo. Deixar 3 a 4 minutos em infusão, coar numa peneira de malha fina. Este café deve ser bebido quente.

café 3

8. Senegal

No Senegal fazer café é um ato ritual. O café é considerado um remédio e, a sua preparação é acompanhada de orações especiais. Ao café se denomina Touba em homenagem à cidade sagrada e se prepara em um copo com uma parte de açúcar, três partes de café, temperado com pimenta e cravo torrado.

9. Vietnã

O Vietnã é o segundo maior produtor de café do mundo, depois do Brasil. O café vietnamita é uma bebida com um sabor verdadeiramente único preparado com água em ebulição e café moído grosso ao qual se adiciona gelo ou leite condensado. A filtragem do café no Vietnã é feita numa máquina especial, de filtragem ascendente que promove uma destilação gota-a-gota.

10. Hong Kong

Em Hong Kong o café é uma combinação de leite e chá preto, para além do café propriamente. Lá é chamado de Yuanyang e é preparado por ebulição, com adição de leite e açúcar, o chá é preparado à parte, em infusão junto com o café. A cadeia Starbucks lançou, em 2010, sua própria versão no mercado de Macau e Hong Kong.

Gostou destas curiosidades?

Leia mais sobre café:

setaCÂNCER: SEU CAFEZINHO DIÁRIO FAZ BEM À SAÚDE

setaINSTITUTO DE CONSERVAÇÃO AMBIENTAL PRODUZ E VENDE CAFÉ ORGÂNICO

setaCAFÉ COMO VIAGRA PARA A DISFUNÇÃO ERÉTIL